Por Paula Moraes – jornalista 

O varejo vem passando por grandes transformações impulsionada pela pandemia da Covid-19. A digitalização das lojas físicas, a migração do varejo para o e-commerce e a busca por soluções inovadoras vem gerando inúmeras mudanças para esse setor. Isso na maior parte do mundo e no Brasil não seria diferente. Neste artigo, vamos destacar as três principais tendências que estão impactando o varejo brasileiro atualmente. E também apontar para onde o setor pode evoluir nos próximos anos. Acompanhe!

Qual o futuro do varejo brasileiro?

Esse é um dos principais questionamentos entre empresas e empresários que atuam no setor. Não é para menos, o varejo brasileiro está em constante transformação e, com isso, surgem novas oportunidades e desafios a serem enfrentados. Atualmente o varejo e a forma de consumo encontram-se mais dinâmicos do que nunca. O comportamento do consumidor e as novas tecnologias vem moldando o futuro do varejo de forma acelerada.

Nesse cenário, surge a pergunta: como o varejo brasileiro deve se adaptar para sobreviver e prosperar nesse novo mercado? Para responder essa questão, é preciso analisar os principais fatores que estão impactando o setor. O primeiro deles é o aumento do poder de compra da população. Com isso, os consumidores estão cada vez mais exigentes e buscam produtos de qualidade, além de uma ótima experiência de compra.

Outro fator que está mudando o mercado é a popularização das compras online. Cada vez mais pessoas estão comprando pelo celular e pelo computador, e isso impacta diretamente o varejo físico. Com isso, o futuro do varejo tanto brasileiro quanto mundial permeia entre a inovação e a tecnologia.

Qual o maior grupo de varejo brasileiro?

O maior grupo varejista é o Carrefour, com uma receita anual de R$ 81,1 bilhões. O segundo colocado é o Assaí, com uma receita anual de R$ 45,6 bilhões. Por fim, o terceiro lugar fica com o grupo Magazine Luiza com receita anual de R$ 42,9 bilhões em 2021. Essas informações são segundo um estudo feito em 2021. Realizado pela escola de negócios Fundação Instituto de Administração (FIA) em conjunto com o Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo & Mercado de Consumo (IBEVAR).

Principais tendências que podem impactar o varejo físico

Não há como negar, o varejo online cresceu de forma exponencial, principalmente em 2020 e 2021 por conta da pandemia. Muitas pessoas que não tinham o hábito de comprar pela internet, passaram a fazer isso por conta das restrições impostas pelos governos de diversos países. Isso afetou e muito o varejo físico e muitas empresas tiveram que fechar as portas.

Além da pandemia, outros fatores como a crise econômica também impactaram negativamente o setor. Com isso, é natural que surjam dúvidas se o varejo físico ainda tem futuro. A resposta é sim! O varejo físico ainda tem muito o que crescer e oferecer aos consumidores. Um exemplo disso é o foco total na experiência do cliente nas lojas físicas. Cada vez mais, as empresas estão investindo em tecnologias que tornem a experiência do cliente mais agradável e personalizada.

Além disso, a gestão do varejo tem se tornado cada vez mais otimizada e estratégica. Visto que as empresas precisam cada vez mais se adequar às mudanças do mercado e aos novos desafios. Outra tendência do varejo físico são as dark stores. Essas lojas são usadas pelas empresas para armazenar produtos e fazer entregas rápidas na região onde estão localizadas. Também temos as estratégias ominichannel e crosschannel que estão cada vez mais em alta.

A primeira consiste na integração de todos os canais de venda da empresa, ou seja, lojas físicas, e-commerce e redes sociais. Já a crosschannel é uma estratégia que usa diferentes canais para direcionar o consumidor final ao ponto de venda. Com isso, fica claro que o varejo físico está longe de acabar. Uma vez que as empresas sempre estão evoluindo e acompanhando as tendências para oferecer a melhor experiência possível aos consumidores.

3 grandes mudanças no varejo brasileiro

Agora que já entendemos um pouco mais sobre o varejo brasileiro, vamos listar aqui as três principais mudanças que estão acontecendo no setor:

#1 Transformação das lojas físicas

As lojas físicas não são mais apenas um lugar para comprar produtos, elas se tornaram verdadeiras experiências de compra. Cada vez mais, as empresas estão investindo em tecnologias que tornem a experiência do cliente mais agradável e personalizada. Alguns exemplos disso são as lojas inteligentes, onde os produtos são dispostos de acordo com o perfil do cliente. E as lojas de realidade aumentada, onde o cliente pode interagir com o produto de forma virtual antes de comprá-lo.

Ao mesmo tempo, em que as lojas físicas estão se tornando mais tecnológicas, também estão ficando menores e otimizadas. Isso ocorre porque as empresas estão investindo cada vez mais em outros canais de venda, como o e-commerce e as redes sociais. E esses recursos podem ser aliados a um sistema para loja, que proporciona mais rapidez e agilidade nessa integração. Com isso, as lojas físicas se tornam mais espaços para a experiência do cliente, onde ele pode testar e conhecer os produtos de forma mais prática.

#2 Soluções antifraudes

Com o crescimento do e-commerce, também aumentaram as tentativas de fraudes. Por isso, as empresas estão cada vez mais investindo em soluções antifraudes para garantir a segurança dos dados dos clientes e evitar prejuízos. As soluções antifraudes mais comuns são o bloqueio de IPs, a verificação de dados pessoais e a análise de comportamento do usuário. Também é importante ficar atento às novas tendências de fraude, como o phishing, e investir em soluções que possam detectar esses casos. Com isso, as empresas conseguem garantir a segurança dos dados dos clientes e evitar prejuízos.

#3 Cliente no centro

As empresas estão cada vez mais focadas em entender como fidelizar seu cliente e oferecer a melhor experiência possível. Para isso, as empresas estão investindo em ferramentas de marketing que permitem segmentar o público e personalizar a comunicação.

Além disso, as empresas também estão investindo em soluções de CRM (Customer Relationship Management) para gerenciar melhor as relações com os clientes. Com isso, as empresas conseguem oferecer um atendimento mais personalizado e direcionado, além de melhorar a experiência do cliente com a marca. Essas são algumas das principais mudanças que estão acontecendo no varejo brasileiro.

Com isso, fica claro que o setor está em constante evolução e as empresas precisam estar sempre atentas às novas tendências para garantir o sucesso. Gostou de saber mais sobre o varejo brasileiro? Acompanhe o nosso blog para ficar por dentro de todas as novidades do setor.

Matéria: Paula Moraes – Redatora Freelancer