COVID-19: Pacientes com diabetes correm mais risco?

COVID-19: Pacientes com diabetes correm mais risco? - saudeImagem de Steve Buissinne por Pixabay

As estatísticas demonstram que pessoas idosas e com condições médicas crônicas, como diabetes e doenças cardíacas, têm mais riscos quando contraem o COVID-19[1]. Em um estudo chinês, feito com mais de 173 pacientes, que foram acometidos de maneira severa pelo coronavírus, 23% tinham hipertensão arterial e 16%, diabetes[2]. No Brasil, a primeira vítima fatal do vírus foi um idoso com ambas doenças.

Segundo o Dr. Rodrigo Noronha, cardiologista do Hospital BP, atualmente, não há dados suficientes para mostrar que pessoas com diabetes tenham, ou não, mais chances de contrair o vírus, mas que, na China, os diabéticos apresentaram mais complicações durante a evolução do COVID-19.

“Esses pacientes já são mais propensos a apresentarem sintomas graves quando são infectados por um vírus, de forma geral. Contudo, se o diabetes estiver controlado, o doente tem uma chance de complicação quase igual à população sem a doença… Isso acontece porque as infecções virais podem aumentar a inflamação e o inchaço no corpo, assim como o açúcar elevado no sangue, então, controlar o diabetes é extremamente importante para que esse paciente fique mais seguro”, diz Noronha.

(mais…)

Anvisa aprova medicamento que reduz em mais de 45% as crises de dor causadas pela falciforme

Anvisa aprova medicamento que reduz em mais de 45% as crises de dor causadas pela falciforme - saudeFoto: Rovena Rosa/ Agência Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o registro do medicamento Adakveo® (crizanlizumabe), da Novartis, para reduzir a frequência de crises vaso-oclusivas (CVOs – ou VOCs, em inglês) ou crises de dor em pacientes com doença falciforme, que tenham 16 anos ou mais.6 Adakveo® é o primeiro medicamento registrado para a condição que atua evitando a obstrução dos vasos que causam o forte sintoma – agindo na P-selectina, proteína de adesão celular que desempenha papel central nas interações multicelulares.[7,8]

Renato Carvalho, presidente da Novartis no Brasil e general manager da divisão da Oncologia, aponta que a revisão prioritária da Anvisa comprova a importância desse medicamento para os pacientes que enfrentam desafios únicos e há anos sofrem com dores inimagináveis. “Confirmando mais uma vez o nosso compromisso de reimaginar a medicina, desenvolvemos o primeiro medicamento que reduz a frequência das crises, o que permite uma melhora considerável na qualidade de vida dos pacientes”.

Esta aprovação é baseada nos resultados do estudo randomizado SUSTAIN, com duração de 52 semanas, que comprovou que o Adakveo® reduziu em 45,3% a taxa média anual de crises de dor. Foram observadas reduções na frequência dos episódios entre os pacientes, independentemente do genótipo da doença e/ou uso de hidroxiureia.[4,6] (mais…)

Atividade física ajuda no combate ao coronavírus; sabia como se exercitar nesse período

Atividade física ajuda no combate ao coronavírus; sabia como se exercitar nesse período - saudeImagem de Ichigo121212 por Pixabay

Em tempos de coronavírus (COVID-19) temos muito a fazer para minimizar as possibilidades de contágio da doença e seus fatores agravantes. E a atividade física é uma arma que pode auxiliar muito neste processo. Os benefícios dos exercícios físicos são inúmeros, inclusive quando se trata da questão imunológica.

A atividade física não previne o contágio do novo coronavírus, mas deixa o organismo mais resistente e protegido contra outras doenças que podem ser fatores determinantes para potencializar a ação do vírus. Fortalecendo o sistema imunológico, a resposta do organismo será mais eficiente contra diversos casos de infecção e, é também com esse propósito, que a prática de atividades físicas pode atuar.

É praticamente consenso entre os estudiosos que a prática regular de atividades físicas com intensidade moderada pode ser considerada como uma aliada no aumento da imunidade.  O aumento dos linfócitos (células do sistema imunológico que atuam com a função de defender o organismo de agentes desconhecidos) extingue e neutraliza células infectadas por vírus e bactérias. (mais…)

Prevenção contra a COVID-19: Saiba como manter seus óculos desinfetados

Prevenção contra a COVID-19: Saiba como manter seus óculos desinfetados - saudeImagem de Ana_J por Pixabay

Com a expansão da COVID-19 no Brasil, é essencial que algumas medidas sejam tomadas para prevenir o contágio e para buscar impedir a disseminação do vírus.

Além de adotar as medidas recomendadas pelo Ministério da Saúde e pela Organização Mundial de Saúde (OMS) – como lavar as mãos frequentemente por 20 segundos, não tocar o rosto com as mãos, cobrir a boca ao tossir e espirrar e, é claro, ficar em isolamento social quando possível -, é muito importante higienizar da forma correta um objeto essencial que está sempre em nosso rosto: os nossos óculos. Se preocupando com a saúde de todos os brasileiros, a Óticas Carol dá dicas de como manter o acessório sempre limpo e esterilizado.

Os óculos podem ser um objeto de transmissão do vírus e, por isso, é imprescindível a limpeza de cada um deles no mínimo 2 vezes por dia (de manhã e à tarde), ou após o contato com as mãos – caso não estejam limpas.

“Nesse momento, não recomendamos a limpeza dos óculos com os produtos normalmente utilizados para esse fim, pois não garantem uma higienização completa. Da mesma forma, não aconselhamos o uso de álcool, pois pode danificá-los, dependendo do material. Para limpeza das armações é recomendada uma solução de sabão neutro e água corrente, com um pano limpo. É uma receita muito simples com elementos que temos facilmente em casa”, explica Ronaldo Pereira Junior, General Manager de Varejo da Luxottica no Brasil.

A solução pode ser armazenada em potinhos de spray (borrifadores) e usados quando necessário. (mais…)

OMS volta atrás e retira restrição do uso de ibuprofeno no tratamento contra coronavírus

OMS volta atrás e retira restrição do uso de ibuprofeno no tratamento contra coronavírus - saudeImagem Ilustrativa | Foto: Pixabay

A Organização Mundial da Saúde (OMS) voltou atrás nesta quinta-feira, dia 19, e retirou a restrição do uso de medicamentos à base de ibuprofeno no tratamento a pessoas infectadas pelo coronavírus. A contraindicação havia sido anunciada na última terça-feira, dia 17.

Apesar do pronunciamento da OMS, o ministério da saúde mantém a recomendação de que outros medicamentos sejam utilizados na recuperação contra a Covid-19.

Em uma publicação nas redes sociais hoje, a pasta afirmou que, “por precaução”, recomenda “a substituição do #ibuprofeno por outros analgésicos.” De acordo com o ministério, “é fundamental que a substituição de medicamentos seja feita com recomendação de um profissional de saúde.”

Metro1

Medo de contaminação pelo coronavírus: queda do movimento desafia os restaurantes

Medo de contaminação pelo coronavírus: queda do movimento desafia os restaurantes - saudeFoto: PixaBay

O isolamento social autoimposto e a liberação das empresas para que seus funcionários trabalhem em home office, a fim de minimizar o risco de contaminação pelo coronavírus (ou COVID-19) vem sendo sentido de forma negativa pelo segmento dos restaurantes. De acordo com a Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), o setor de alimentação fora do lar apresenta, logo após o anúncio de pandemia pela OMS (Organização Mundial da Saúde), uma diminuição de movimento em torno de 15%. A previsão é que a queda de faturamento chegue a 30% e então se estabilize.

A Associação explica, ainda, que os lugares vazios têm sido mais sentidos pelos restaurantes de shopping centers.

Este é um grande desafio a ser superado pelos empreendedores de restaurantes. Com a mudança de comportamento, a incerteza sobre as medidas que o governo brasileiro tomará ou não e o aumento do número de pessoas infectadas, como conseguir um resultado menos pessimista que o das previsões? (mais…)

Mitos e verdades sobre receitas caseiras para higienização das mãos e da casa

Mitos e verdades sobre receitas caseiras para higienização das mãos e da casa - saudeFoto: Pixabay

Diante da grande procura no comércio por produtos de limpeza e desinfecção, muitas pessoas têm recorrido a receitas caseiras para ajudar nesta tarefa e evitar de pagar preços abusivos.

Mas, é importante redobrarmos os cuidados, pois há combinações químicas que, além de não serem eficazes, podem até mesmo causar alergias, manchas etc.

Patrícia Antônio M. Freitas, Dra. Professora de Engenharia Química do Instituto Mauá de Tecnologia, está à disposição para esclarecer e demonstrar em laboratório algumas situações que são consideradas mitos e verdades, tais como: (mais…)

Recomendações do CFMV para o atendimento veterinário durante a crise do coronavírus

Recomendações do CFMV para o atendimento veterinário durante a crise do coronavírus - saudeImagem Ilustrativa | Foto: Pixabay

A Organização Mundial da Saúde (OMS) diz que, até o momento, não há evidência significativa de que animais de estimação possam ficar doentes ou transmitir o novo coronavírus (Covid-19). Mesmo assim, a recomendação é de que as pessoas infectadas evitem o contato com seus cães e gatos.

O médico-veterinário e tesoureiro do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), Wanderson Ferreira, pós-graduado em Clínica Médica e Cirúrgica de Pequenos Animais, explica que, por enquanto, não há comprovação científica de que os animais transmitam para o homem e, até hoje, o entendimento é de que os animais não são suscetíveis ao novo coronavírus (Covid-19).

“Existe um tipo de coronavírus que atinge o trato gastrointestinal de cães, podendo desencadear um processo de diarreia e vômito. Mas o homem é resistente a ele e não tem nada a ver com o Covid-19, que ataca as vias respiratórias”, esclarece.

Mesmo diante desse cenário, por cautela, o CFMV ratifica o posicionamento da OMS e recomenda que os tutores infectados também façam quarentena de convivência com os seus pets. (mais…)

Baixa ingestão de água é a principal causa de diversas doenças

Baixa ingestão de água é a principal causa de diversas doenças - saudeImagem de ExplorerBob por Pixabay

O Dia Mundial da Água, celebrado em 22 de março, é marcado pela conscientização sobre a necessidade de preservar o recurso. Mas, assim como o planeta Terra, o corpo humano também é composto por cerca de 70% de água. Embora muitas pessoas saibam a importância de ingerir o líquido, poucas fazem de maneira adequada.

De acordo com a urologista da DoctoraliaJuliano Alcantara Plastina, a quantidade diária de água é variável:

“É necessário avaliar as particularidades de cada pessoa, como idade, peso e atividades físicas, além de considerar condições externas, como o clima e a temperatura do ambiente. Para ajudar, podemos dizer que, em média, o cálculo feito é 35ml de água multiplicado pelo peso corporal”, esclarece.

A ingestão da quantidade adequada é fundamental para o bom funcionamento do organismo:

“A água é responsável por diversas funções, como manter o corpo hidratado, transportar nutrientes, oxigênio e sais minerais, atuar como solvente de substâncias, regular a temperatura corporal e eliminar toxinas que são prejudiciais à saúde. Com a falta da ingestão do líquido, o corpo começa a dar sinais de desidratação que vão evoluindo e piorando para sintomas mais graves, podendo até levar à morte”.

(mais…)

INFORMAÇÕES E ORIENTAÇÕES SOBRE O CORONAVÍRUS

INFORMAÇÕES E ORIENTAÇÕES SOBRE O CORONAVÍRUS - saudeFoto: Marcio James/ Semcom

O que é o COVID-19 (Novo coronavírus)?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (SARS-CoV-2) foi descoberto em 31 de dezembro de 2019, após casos registrados na China, e provoca a doença chamada de coronavírus (COVID-19).

Os coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, apenas em 1965, o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas é infectada com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1. (mais…)

Nutrição adequada com maior nível de lactose resolve obstipação em bebês, na falta de aleitamento materno

Nutrição adequada com maior nível de lactose resolve obstipação em bebês, na falta de aleitamento materno - saudeIlustrativa | Imagem de PublicDomainPictures por Pixabay

Quando um bebê nasce é comum ter algum dos chamados “distúrbio funcional do sistema digestivo”. Apesar do nome complexo, trata-se de uma condição relativamente normal, especialmente quando o sistema digestivo da criança ainda não está totalmente formado, o que acontece nos primeiros meses de vida.

Em decorrência dessa condição, os bebês podem apresentar três problemas: cólica, refluxo e obstipação, sendo este último o menos apontado pelos pais, mas não o menos importante. A obstipação é a dificuldade ou a falta de evacuação. Nesse caso, a criança sente dor para eliminar as fezes e precisa fazer um grande esforço para isso. Tal problema ocorre devido ao pouco reflexo para eliminação das fezes ou menos movimentação do intestino que o normal.

“O ideal é oferecer à criança fórmulas nutricionais adequadas, com maior nível de lactose, o que auxilia a excreção de água no cólon e aumenta a motilidade intestinal. Estudos comprovam que 91,6% dos casos de constipação foram resolvidos dentro de 7 dias com formulação minerais essenciais, como magnésio, cálcio e fósforo, que são essenciais para a redução dos sintomas. Essa recomendação é para as crianças que não recebem leite materno, pois ele sempre será a primeira indicação”, diz o Prof. Dr. Fábio Ancona, pediatra especialista em nutrição infantil. (mais…)

ENDOMETRIOSE atinge sete milhões de brasileiras

ENDOMETRIOSE atinge sete milhões de brasileiras - saudeImagem de holdosi por Pixabay

Além de ser um mês em que se celebram as mulheres, pelo dia 8 (Dia Internacional da Mulher), março se tornou ainda mais forte na conscientização sobre o corpo feminino. A campanha do Março Amarelo é um ponto de partida para chamar a atenção para um problema mais comum do que se imagina, a endometriose. A doença já atinge 176 milhões de mulheres ao redor do mundo. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), no Brasil são sete milhões de mulheres que sofrem com a doença. E o pior: 10% a 15% das mulheres brasileiras que são acometidas pela endometriose estão em idade reprodutiva.

A endometriose ocorre quando o endométrio, a mucosa que reveste a parede interna do útero – e que é eliminada durante a menstruação – ao invés de ser expelido para fora do corpo, acaba indo no sentido contrário e alcançando a cavidade abdominal ou mesmo os ovários.

O sangue que deveria ser posto para fora pela vagina, acaba migrando para outras regiões do corpo e isso provoca inflamações nessas áreas. As mais comuns são inflamações nos ovários. Mas também podem acontecer nas trompas, no intestino ou em outas áreas ao redor do útero. (mais…)

Dicas sobre como se prevenir do Coronavírus

Dicas sobre como se prevenir do Coronavírus - saudeImagem de Martin Slavoljubovski por Pixabay

O Brasil já registrou casos confirmados do novo coronavírus (Covid-19) e são mais de 430 suspeitos até o momento, que seguem em monitoramento pelo Ministério da Saúde. Destes, cerca de 160 estão no estado de São Paulo. O segundo local com mais quadros suspeitos é o Rio Grande do Sul: são 73 pessoas em observação. Para orientar a população, a plataforma, a 99, empresa de mobilidade urbana, preparou algumas dicas sobre o que fazer, quais os sintomas e onde buscar ajuda em casos de suspeita de contágio com o coronavírus.

Lavar as mãos frequentemente e sempre com água e sabão. Apenas água não basta para eliminar o vírus;

Complementar a higienização, quando possível, com álcool em gel 70%;

Ao tossir e espirrar, cobrir boca e nariz com lenço descartável ou com o braço. Nunca com as mãos, que são um dos principais vetores de contágio;

Evitar tocar olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

Evitar contato físico, como aperto de mãos;

Andar com os vidros do carro abertos para arejá-lo sempre que possível;

Evitar aglomerações e manter os ambientes ventilados.

Se, mesmo tomando essas precauções, surgirem sintomas parecidos com o de uma gripe, como febre, cansaço, tosse seca, dores no corpo, congestão nasal, corrimento nasal, dor de garganta ou diarréia, ligue gratuitamente para o Disque SUS, no telefone 136, para obter mais informações e locais de atendimento.

O Ministério da Saúde disponibiliza ainda um número de Whatsapp: (61) 99289-4640. O protocolo completo e atualizações diárias de novos casos suspeitos e confirmados podem ser encontrados no site do órgão: www.saude.gov.br/coronavirus.

Transmissão e notícias falsas

A gripe do novo coronavírus é transmitida de uma pessoa doente para outra, por contato próximo (de até dois metros de distância) e por meio de saliva, espirro, tosse, catarro, toque ou aperto de mão e objetos e superfícies contaminados.

Ao contrário de correntes falsas que circularam por meio de mensagens do whatsapp, o coronavírus não causa pneumonia de imediato e também ainda não há nenhum medicamento disponível para a sua cura. Assim como chá de gengibre e erva-doce não são indicados para combater a doença.

Fake news como as acima causam pânico na população e atrapalham os trabalhos de prevenção e investigação dos órgãos oficiais. Por isso, é importante sempre verificar a fonte da informação que está circulando em redes sociais. Para isso, o Ministério da Saúde criou uma página para esclarecer o que é falso e verdadeiro sobre o coronavirus: www.saude.gov.br/fakenews/coronavirus.

Sobre a 99

A 99, empresa brasileira de tecnologia que conecta passageiros e motoristas através de seu aplicativo, faz parte da companhia global Didi Chuxing (“DiDi”). O aplicativo conecta mais de 600 mil motoristas a 18 milhões de passageiros em mais de 1.600 cidades no Brasil. Para mais informações sobre a empresa A 99 envie E-mail para: pr@99app.com

Editado pelo Tribuna do Recôncavo | Matéria: Máquina Cohn & Wolfe

Álcool em gel é eficaz na prevenção ao coronavírus, afirma conselho

Álcool em gel é eficaz na prevenção ao coronavírus, afirma conselho - saudeFoto: Pixabay

O uso de álcool gel para higiene das mãos como prevenção ao coronavírus é eficaz. Em nota, o Conselho Federal de Química (CFQ) criticou a disseminação de fake news por meio de um vídeo, com informações equivocadas e incorretas a respeito do emprego do álcool gel, divulgado por um “químico autodidata”.

Assinada pelo presidente da entidade, José de Ribamar Oliveira Filho, a nota do conselho esclarece que o álcool etílico (etanol) é um eficiente desinfetante de superfícies/objetos e antisséptico de pele. “Para este propósito, o grau alcoólico recomendado é 70%, condição que propicia a desnaturação de proteínas e de estruturas lipídicas da membrana celular, e a consequente destruição do microrganismo.”

Segundo a entidade, o etanol age rapidamente sobre bactérias vegetativas (inclusive microbactérias), vírus e fungos, sendo a higienização equivalente e até superior à lavagem de mãos com sabão comum ou alguns tipos de antissépticos. O conselho lembra que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) tornou obrigatória a disponibilização de preparação alcoólica (ou sua versão em gel) para fricção antisséptica das mãos pelos serviços de saúde do país. (mais…)

Imaginário dos brasileiros sobre a quimioterapia não acompanha os avanços do tratamento

Imaginário dos brasileiros sobre a quimioterapia não acompanha os avanços do tratamento - saudeFoto: Manu Dias/ GOVBA

O mais tradicional tratamento oncológico, a quimioterapia, foi descoberto acidentalmente na Segunda Guerra Mundial. Soldados expostos à mostarda nitrogenada (no estado gasoso), que era então usada como arma de guerra, apresentavam queda nos glóbulos brancos sanguíneos. Especialistas testaram a substância como forma de tratamento para cânceres no sangue e os resultados foram surpreendentes, originando a quimioterapia.

Desde então, muita coisa mudou na medicina e a primeira terapia a combater a multiplicação das células cancerígenas, difundida no Brasil em meados dos anos 70, está muito diferente do que permanece no imaginário da população. Um exemplo disso é a crença de que todo paciente submetido à quimioterapia perde o cabelo.

Segundo a oncologista Dra. Fátima Dias Gauí, membro da diretoria da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), existem casos em que ainda há queda de fios, mas depende do tipo de quimioterápico recomendado para determinado câncer. No tratamento do câncer colorretal, por exemplo, o paciente não fica careca. (mais…)

Carnaval: Evite contágio de doenças pela boca

Carnaval: Evite contágio de doenças pela boca - saude, brasilCrédito: Pixabel

Segundo levantamento divulgado recentemente pelo Ministério da Saúde, o Brasil conseguiu evitar 2,5 mil mortes causadas pela Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (Aids, sigla em inglês) entre os anos de 2014 e 2018. Apesar dos números, o órgão estima que atualmente 135 mil brasileiros vivem com HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana, na tradução) e não sabem.

O cirurgião-dentista do Seconci-SP (Serviço Social da Construção) Alexandre Martins explica que a cavidade bucal pode ser a porta de entrada para uma série de doenças, incluído o HIV, no caso do sexo oral. Daí a importância de uso de preservativo nesta prática, além do hábito de visitas regulares ao dentista para a detecção dos primeiros sinais da Aids. “Muitas lesões bucais surgem por consequência do declínio do sistema imunológico dos pacientes soropositivos. Por isso, em uma consulta de rotina, a doença pode ser identificada”, comenta.

O especialista destaca que nem toda ferida na cavidade bucal pode ser diretamente associada à Aids, pois aftas são itens relativamente comuns na maioria das pessoas e não estão diretamente relacionadas a uma doença específica. Apesar disso, manchas esbranquiçadas na língua e feridas persistentes na boca devem ser consideradas sinais de alerta.

Prevenção

O especialista explica que a saliva não possui uma quantidade viral suficiente para que uma pessoa possa se contaminar com o HIV por meio de um beijo em um indivíduo soropositivo, por exemplo. Contudo, cáries e infecções sexualmente transmissíveis, como herpes, sífilis, gonorreia e o Papilomavírus Humano (HPV), podem sim ser transmitidas por meio deste contato.

Outra doença que precisa estar no radar das pessoas, principalmente em época de festividades como o Carnaval, é a Mononucleose, conhecida também como enfermidade do beijo. Trata-se de uma doença infecciosa, assintomática, causada pelo vírus Epstein-Barr e transmitida pelo contato íntimo de salivas.

O cirurgião-dentista destaca que a melhor forma de prevenção é evitar beijar pessoas com feridas na boca e sempre realizar todos os tipos de relações sexuais com proteção. “Outra dica muito importante é evitar colocar as mãos na boca, principalmente quando estiver em locais com grande aglomeração de pessoas, pois vírus como os da herpes podem ser transmitidos ao tocar uma ferida e levar a mão à cavidade bucal”, finaliza.

Matéria: Karina Gaudereto, Harley Moreira  e Raquel Brito/ Seconci-SP

Voltar à página inicial