web analytics

COMO VOCÊ LIDA COM QUEM É MANDÃO?

Editada | Foto: Gerben van Es/Mediacentrum Defensie

Em qualquer ambiente, encontramos pessoas intransigentes. Sempre prontas a delegar tarefas e fazer sua opinião prevalecer. Contudo, e no mundo corporativo, como isso pode impactar quem está ao redor? Para entender a conduta dos jovens diante de tal comportamento, o Nube – Núcleo Brasileiro de Estágios realizou uma pesquisa com a seguinte questão: “Como você lida com quem é mandão?”. O resultado apontou a necessidade de ponderar as ações! (mais…)

5 dicas para alavancar a carreira com base na Copa do Mundo

Lucas Figueiredo/ CBF/ Fotos Públicas

A Copa do Mundo que começou no dia 14 de junho e segue até 15 de julho na Rússia contribui para a inserção do esporte nos holofotes. É inevitável ter todas as atenções voltadas para as atuações do técnico, goleiro, zagueiros, laterais, volantes, atacantes e meio-campistas em prol de um único objetivo: ter um desempenho de sucesso e conquistar a taça. Neste contexto, você já parou para refletir sobre o que o evento esportivo tem em comum com o ambiente dos negócios?

O presidente do Instituto Brasileiro de Coaching, José Roberto Marques, tem a resposta para esta pergunta: “Não apenas em dias de Copa do Mundo, mas, em competições de forma geral, os brasileiros tem o costume de questionar a performance dos jogadores e o posicionamento do time sem olhar para si mesmo. Contudo, será que no trabalho essa pessoa é realmente produtiva? Será que colabora com as tarefas em equipe? O esporte é capaz de estimular estes comportamentos. Portanto, para marcar um gol bonito no campo corporativo é preciso aprender a estar atento, focar no desenvolvimento das competências, fortalecer as fraquezas, incentivar a união e munir-se de técnicas estratégicas. Afinal, assim como no futebol, ações assertivas geram bons resultados”, afirma.

O especialista separou cinco comportamentos que podem ser aprendidos no futebol e que são indispensáveis para o mercado de trabalho.

Veja abaixo: (mais…)

COMO VOCÊ AVALIA SEU DOMÍNIO DE LÍNGUA PORTUGUESA?

Imagem Ilustrativa | Foto: Suami Dias/ GOV-BA

Estamos expostos a nossa língua nativa desde pequenos e, em todos os níveis escolares, passamos por matérias voltadas a elevar esse conhecimento. Mesmo assim, nem todos obtêm o êxito necessário no aprendizado e acabam se prejudicando no mercado de trabalho. Levando em conta esse cenário, o Nube – Núcleo Brasileiro de Estágios fez uma pesquisa com o seguinte tema central: “Como você avalia seu domínio de português?”. O resultado apontou uma percepção um pouco fora da realidade atual.

O estudo ocorreu entre 4 e 15 de junho, com 27.945 respondentes de todo o país, com faixa etária de 15 a 26 anos. Como vencedora absoluta, a opção “tenho bons conhecimentos e isso me ajuda na carreira” obteve 77,60%, ou 21.685 votos. Entretanto, para os selecionadores, essa não é bem a verdade vivida no mundo corporativo, pois mais de 40% dos candidatos são eliminados logo na primeira etapa das dinâmicas por erros ortográficos. “Essa disparidade se deve, principalmente, a fatores como a autopercepção e autoestima dos jovens, os quais, por navegarem bem nas redes sociais, acreditam fazer bom uso da língua. Todavia, no momento de utilizar a norma culta, se perdem”, avalia Lizandra Bastos, analista de treinamento do Nube.

Na sequência, 20,34% (5.685) disseram: “as regras sempre me atrapalham e acabo cometendo pequenos deslizes” e 1,49% (417) admitiu: “assumo ser meu ponto fraco e não consigo achar forma de resolver isso”. Para quem percebe ser uma dificuldade, a dica é estudar e praticar, começando com os conteúdos mais simples e, após compreendê-los, evoluir para os mais difíceis. “Não existe fórmula mágica, mas incorporar a leitura de livros e revistas à rotina, por exemplo, já fará uma grande diferença”, incentiva a especialista. (mais…)

ARTIGO: Qual a causa da derrota dos candidatos honestos?

Foto: Divulgação

*Waldir Santos

A esmagadora maioria dos candidatos a deputado ou vereador não tem ideia de quais são os seus verdadeiros obstáculos. Normalmente atribuem o resultado da eleição a fatores que não foram, de fato, os causadores do seu insucesso. Culpam o cidadão, afirmando que falta consciência na hora de votar, ou que a escolha deveria ter sido feita com mais cuidado, e alguns chegam a acusar o eleitor de ingratidão, como se algum favor pudesse ser trocado pelo voto. Em síntese, todos pensam que o que faltou foi voto, como aliás parece evidente até para o nobre leitor.

No www.votovalido.org – página inicial, está matematicamente demonstrado que a maioria do povo nunca votou em quem ganhou a eleição, já que o nosso sistema é o de eleição proporcional, e que mesmo sem os votos que são esperados, muita gente poderia se eleger. Isso quer dizer que muitas vezes os votos obtidos são suficientes para a eleição do candidato, e que o que faltou na verdade foi conhecimento sobre a realidade eleitoral e sobre as regras aplicáveis, especialmente a do sistema proporcional, para que o bom candidato não sirva apenas de escada para os que já possuem mandato. Isso está explicado no https://votovalido.org/como-funciona/.

Muita gente acha que o que impediu a sua eleição foi o fato de os candidatos vitoriosos serem mais conhecidos, terem mais tempo de rádio e TV, ou terem mais dinheiro para investir na propaganda. Na verdade, na grande maioria dos casos os eleitos gastam muitos recursos, evidentemente não contabilizados na prestação de contas, com a remuneração de apoiadores, normalmente pessoas politicamente muito populares ou que já exerceram mandato, especialmente de vereador ou prefeito. E aí ocorre a venda do voto alheio, em que o intermediário fica com o dinheiro, e repassa para o eleitor apenas a promessa da escola, do hospital, da estrada, da ponte, da fábrica etc. Gastam também com a ilegalidade denominada “boca de urna”, forma mal disfarçada de compra direta do voto. Isso evidencia a importância do dinheiro nas eleições. É importante que tenhamos conhecimento, no entanto, de que essa prática é ilegal e deve ser combatida. (mais…)

FAKENEWS: nossa omissão e suas consequências

Foto: Divulgação

Por Waldir Santos

Fala-se muito sobre o hábito, hoje frequente em virtude das facilidades da comunicação, de disseminar notícias falsas na internet. Normalmente a preocupação se limita às suas consequências nas campanhas eleitorais. Para o Ministro Fux e a Ministra Rosa Weber, presidentes do Tribunal Superior Eleitoral, parece que isso se tornou quase pauta única.

O grande mal causado por essa atitude, na maioria das vezes inocente em sua continuidade, mas criminosa em sua origem, não está somente nesse campo. Todos os dias pessoas são vítimas de notícias falsas, que são propagadas com facilidade em função da inexperiência dos usuários da rede. Um exemplo simples: ao encaminhar um áudio verdadeiro, que falava de um suspeito de espetar pessoas no centro de Salvador com uma seringa contendo sangue, alguém substituiu a foto que acompanhava a mensagem e colocou no lugar a foto de um cidadão de bem, que na hora dos fatos estava dirigindo um ônibus coletivo em seu trabalho diário. Ele precisou ir à delegacia para não ser surpreendido com uma prisão, e, se isso não tivesse virado notícia de jornal, ele poderia ser linchado na rua, como aconteceu em situações semelhantes no Rio de Janeiro e em São Paulo.

A mais recente notícia falsa que ganhou repercussão na Bahia dizia que a ponte da BR 101, entre Cachoeira e São Félix, estava rachada e com risco de desabamento. Junto com ela vinha uma foto da ponte sobre o Rio Tocantins, em Porto Nacional (TO), totalmente diferente e sem a conhecida mureta da ponte do Recôncavo. Milhares de pessoas encaminharam a mensagem em seus grupos, e já tinha gente cancelando sua viagem para as festas juninas.

O malfeitor aproveitou uma informação verdadeira, como sempre ocorre nas fakenews, e a distorceu. De fato, há um espaço entre as lajes de concreto, como ocorre em toda ponte grande, e a rachadura se situa no asfalto que as recobre, sem qualquer risco de acidente. A foto anexada à maioria das mensagens trazia uma fissura anormal, na lateral de uma das lajes de outra ponte. A imprensa entrou em campo e desfez o equívoco. (mais…)

ARTIGO: O estigma da Doença de Chagas

Foto: Divulgação

(Waldir Santos)

Quando eu vim morar em Salvador, aos 11 anos, ao dizer que era de São Felipe era comum ouvir das pessoas “Ah, sei, a terra do barbeiro”, fazendo referência à doença de Chagas. Ainda hoje até alguns médicos têm essa mesma opinião.

Isso se deve ao fato de quê, no começo da década de 1970, os municípios da região se recusaram a sediar o projeto da Fundação Universidade de Brasília, temendo adquirir o estigma que ficou para nós.

Os dados eram publicados, e aí chegavam aos livros de medicina e à imprensa, como do “posto de São Felipe”, mas o trabalho salvou  dezenas de milhares de vidas nos municípios de Maragogipe, Nazaré, Muniz Ferreira, São Félix, Conceição do Almeida etc, alguns dos quais com índice superior de ocorrência da doença. Tudo isso devido à grandeza e ao sentimento de humanidade do então prefeito Hugo Andrade Figueredo, que colocou em primeiro lugar a vida e a saúde das pessoas, não se preocupando com eventual desgaste político. (mais…)

Pesquisa revela o que é ter sucesso profissional hoje para os jovens

Foto: Camila Domingues/ Palácio Piratini/ Fotos Públicas

Em um mundo onde a cada dia surgem inovações e necessidades, empresas e profissionais se reinventam a todo momento para ter sucesso. Com o mercado de trabalho sofrendo modificações constantes, trazidas pelas novas gerações e múltiplas demandas, uma dúvida surge: hoje, “o que é ter sucesso profissional?”. Para responder essa pergunta, o Nube – Núcleo Brasileiro de Estágios ouviu 36.880 jovens de todo o Brasil, com faixa etária entre 15 e 26 anos. O resultado revelou a necessidade do crescimento com respeito e transparência.

O estudo ocorreu entre 9 e 20 de abril e, para a grande maioria, ou seja, 60,11%, ou 22.167 dos pesquisados, o êxito está em “fazer sempre o melhor, sem passar por cima de ninguém”. Para o analista de treinamento, Everton Santos, o índice foi expressivo, pois está cada vez mais claro como um comportamento sem escrúpulos, causa a desmotivação da equipe e descrédito em relação a liderança. “Essa postura desperta dúvidas quanto a confiabilidade, levando à exclusão”, comenta. Logo, um colaborador desonesto é cada vez menos acionado pelos seus pares para contribuir com ideias e projetos. “Consequentemente, não é visto como um vencedor”, afirma.

Na sequência, 19,45% (7.174) disseram: “não existe um sucesso profissional eterno, é sempre preciso ir atrás dele”. De acordo com o especialista, a vitória é pessoal, portanto, é sim preciso lutar por ela, pois isso trará satisfação e motivação para alcançar outros objetivos. “Para alguns, o triunfo é ter um trabalho prazeroso, próximo à residência, com flexibilidade para cuidar dos filhos ou o qual possibilite ir de bicicleta. Já para outros, pode estar relacionado à alta remuneração, capaz de suprir todas as necessidades. Seja qual for, é válido nunca se acomodar”, recomenda. (mais…)

Artigo: Como identificar um candidato honesto

Foto: Divulgação

*Waldir Santos

Ninguém compra votos com dinheiro do próprio bolso. Ou ele já roubou para isso, ou está fazendo um investimento para roubar quando assumir o cargo.

O problema da compra de voto, parte importante do sistema brasileiro de corrupção, decorre de um pressuposto: o de que o político irá auferir vantagens, também indevidas, e assim o eleitor imagina que terá cem anos de perdão. Dificilmente o eleitor aceita o fato de que algumas pessoas são honestas na política, afinal o que tem destaque na imprensa e nas conversas é somente o erro da maioria. Quando se enaltecem os honestos, de fato é algo estranho, pois o normal é ser assim, apesar de ser raro. Quem é honesto apenas cumpre a sua obrigação e não deve ser aplaudido por isso.

Quando alguém pede o voto sem querer pagar por ele, é visto por algumas pessoas como espertalhão e miserável, pois quer ficar com tudo. Não quer dividir com quem lhe colocou lá, aparentemente para roubar. A grande missão do candidato, entendo eu, é mostrar que é honesto e que é preparado. Os grandes debates com que se perde tempo hoje, já estamos começando a compreender, têm sido e continuarão sendo decididos pelo Supremo Tribunal Federal. E até para combater a corrupção no Poder Judiciário, também contaminado, precisamos agora eleger deputados honestos e preparados. Não conheço um que hoje se disponha a cuidar disso. Afinal, qual é o corrupto que vai se atrever? Infelizmente quem se propõe a isso, por meio de promessas, só tem garganta para lançar frases de efeito, depois de décadas de omissão dentro do sistema do judiciário. (mais…)

Waldir Santos: Respeito e renovação política, ou servilismo e covardia?

Foto: Divulgação

Alguns políticos ainda não se deram conta do momento em que estamos. Mesmo os mais jovens, que não viveram o tempo em que o poderoso chefão, normalmente ocupante do topo da pirâmide da corrupção, definia quem ia ganhar as eleições, comportam-se como se estivéssemos na época dos chicotes que listravam lombos imbecis, em que no gabinete se decidia quem seriam os capachos eleitos para o parlamento e os postes escolhidos para o executivo.

A declaração dada à imprensa, em 09/05, pelo vice-prefeito de Salvador/BA, Bruno Reis, mostra o escancaramento da humilhante relação entre candidatos inocentes, iludidos com a promessa de apoio e com palpites sobre imaginárias chances, e os “donos” dos partidos políticos. Acham insuficiente o controle pleno e nada democrático das agremiações que integram, cujas decisões são tomadas à revelia e sem respeito à  militância, e lançam agora, como caciques modernos, seus gatázios sobre os partidos aliados, tratando-os como meros apêndices a serem explorados, ou, para usar a expressão histórica, como satélites, sempre a girar em torno do astro rei.

Com o objetivo de acalmar os parlamentares que, especialmente nestes tempos tenebrosos para alguns que sempre ganharam as eleições com dinheiro oriundo da corrupção, temem perder os privilégios do cargo, e que nunca foram eleitos sem os votos dos pequenos (exceto casos como o de Lúcio Vieira Lima, e hoje todos conhecem o motivo), o vice-prefeito anunciou um nítido “passa, menino” nos partidos que se atreverem a tentar eleger seus próprios deputados, recusando-se a servir de “escadinha” para manter os de sempre nas polpudas cadeiras do parlamento. (mais…)

Sensação de tristeza comum no fim do ano pode se tornar depressão

Foto: Divulgação

O clima natalino e de fim de ano muitas vezes desperta sentimentos como saudades de pessoas que estão distantes ou nostalgia em função de sonhos que ficaram para trás, o que acaba gerando em algumas pessoas tristeza e melancolia. Nesta época, é comum também que se faça uma reavaliação de atitudes e decisões, além de um planejamento de projetos futuros. Estes sentimentos e atitudes podem ser saudáveis e positivos, mas é preciso atenção se a sensação de tristeza se prolongar.

O psicólogo da Holiste, Cláudio Melo, aponta que fazer um balanço da vida é positivo. “Para muitas pessoas o sentimento de introspecção se intensifica nesta época. É importante que esta emoção seja transformada em uma análise do que fizemos, das decisões que tomamos, do que precisamos buscar para o próximo ano. Desta forma, fazer este balanço e ter momentos de reflexões podem ajudar no autoconhecimento e no aprendizado”, revela.

Melo também pontua que não se deve temer a tristeza ou o sofrimento, eles fazem parte de uma vida saudável, pois a qualidade de vida e o bem-estar não estão relacionados ao maior ou menor número de frustrações ou perdas às quais uma pessoa é submetida, e sim de que forma aquele indivíduo lidará com essas situações. (mais…)

Massacres enfatizam importância do tratamento de transtornos mentais

Foto: holiste.com

Dois casos de grandes tragédias marcaram os noticiários desta semana. Nesta quinta-feira (05/10), o vigia Damião Soares dos Santos, de 50 anos, entrou em uma creche de Minas Gerais e ateou fogo em salas de aula, causando a morte de cinco crianças de 4 anos e uma professora. O vigia também morreu no ataque.

No domingo, em Las Vegas (EUA), o ataque de um atirador deixou mais de 50 mortos e cerca de 500 feridos.  Tal ato também foi seguido pelo suicídio do atirador, um aposentado, sem ficha criminal e sem qualquer vínculo religioso ou político aparentes. No dois casos, há indícios de que os autores tivessem transtornos mentais, ressaltando a importância do cuidado com o tratamento adequado destas patologias.

As doenças mentais podem desencadear comportamentos violentos, bem como levar ao fanatismo e radicalismo político e religioso. O médico psiquiatra, Luiz Fernando Pedroso, diretor clínico da Holiste Psiquiatria, destaca a necessidade de olhar o transtorno mental como motivador de atos violentos. (mais…)

Resiliência: a palavra-chave para o bom desenvolvimento profissional

Foto: Divulgação

Resiliência é uma das palavras mais utilizadas no mundo corporativo há algum tempo. A pergunta “Você é resiliente?” é uma das mais comuns em entrevistas de emprego. Para poder classificar um profissional como resiliente ou não, é necessário primeiramente entender a origem e o significado da palavra, que trata-se de uma característica hoje aplicada a personalidade do ser humano, mas cujo sentido foi herdado da física dos materiais. Um material resiliente é aquele que mesmo sob alta pressão, mantém as suas características inalteradas.

Trazendo isso para a psicologia/relações pessoais, nós dizemos que uma pessoa é resiliente quando consegue manter as suas características mesmo quando submetido a alta carga de trabalho, grandes desafios ou tensão. É aquele profissional que mesmo no meio do mar revolto, mantém sua capacidade e apresenta seu melhor.

Um dos questionamentos que você, leitor, pode estar tendo agora é: mas como eu posso desenvolver a resiliência? Como posso ampliar essa característica e tirar vantagem disso? Uma das maneiras mais eficientes é o autoconhecimento. Por meio da reflexão interna, é possível identificar quais são os assuntos que mais te causam estresse, te fazem se sentir pressionado, agitado e nervoso e que podem causar a perda da capacidade de se adaptar a situação e demonstrar o seu melhor. É importantíssimo que seja racionalizado se o que está ali envolvido é efetivamente um risco ou algo proveniente da imaginação. (mais…)

ARTIGO: Cobrança vexatória é crime e gera dano moral

O credor tem o direito de cobrar dívida junto a seu devedor. Todavia, deve fazê-lo nos limites da lei, jamais se utilizando de ameaça, coação, constrangimento físico ou moral, jamais expondo o inadimplente a situações vexatórias no seu trabalho e no seu meio social, jamais interferindo nos momentos do descanso e lazer do devedor. Mesmo assim, é cada vez mais comum o consumidor endividado sofrer cobranças vexatórias e humilhantes, vindas da parte de comerciantes e prestadores de serviços em geral.

E as modalidades de cobranças vexatórias mais frequentes são: ligações feitas pelas empresas de cobrança para o local de trabalho do inadimplente; ligações para parentes e vizinhos do devedor; ligações para o próprio consumidor, feitas de maneira insistente, sem respeitar horário comercial, objetivando fazer pressão psicológica; além disso, são inúmeros os casos de cartas ameaçando o devedor com prisão, prometendo realizar a penhora de seus bens, salários, etc.

Contudo, é preciso informar que a empresa credora que comete tais abusos pode ser responsabilizada cível e criminalmente. O Código de Defesa do Consumidor assegura que “O consumidor inadimplente não será exposto ao ridículo, nem será submetido a qualquer tipo de constrangimento ou ameaça.” Além disso, o abuso no direito de cobrança é também por lei considerado crime, com pena que pode ir de 3 meses a 1 ano de detenção, além de multa. (mais…)

ARTIGO: Governo Da Bahia Na Contramão Da Cidadania

Enquanto o Papa Francisco, o líder religioso mais popular do século 21, cobra e exige dos governos um olhar mais humano para as questões sociais, inclusive dando exemplo de como coisas simples para alguns podem ser de grande importância para outros, como podemos verificar na matéria veiculada na imprensa mundial no mês de março, onde o Pontífice por iniciativa própria fornece alimentação, barbearia, banheiro com chuveiros quentes, lavanderia e material de limpeza pessoal para os moradores de ruas e pessoas com dificuldades básicas de sobrevivência em Roma (https://www.youtube.com/watch?v=_p_PM-10uTY ),  promovendo um mínimo de dignidade para tais pessoas.

O  governo do estado parece caminhar na direção contrária. Cometendo mais um atentado à cidadania anunciou nesta quarta feira, dia 7 de junho, o fechamento do Projeto Ponto de Cidadania. Iniciativa financiada pela Superintendência de Prevenção e Acolhimento aos usuários de drogas e Apoio Familiar (SUPRAD). Para quem não conhece,  o Projeto Cidadania  oferta serviços de promoção da saúde, cidadania, e reinserção social para pessoas que se encontram em extrema vulnerabilidade social pelas ruas de Salvador.

A equipe desenvolve um trabalho reconhecido em todo o país, porém em um gesto mesquinho está sendo interrompido pelo governador do estado. Na manhã desta quinta feira (08/06/2017) houve manifestação dos profissionais da rede de apoiadores e entidades em defesa do projeto e está marcada para a próxima semana, dia 14/06 uma nova manifestação contra este descaso com as questões humanas, proporcionada bancada pela estrutura de poder estadual. (mais…)

Atenção servidor(a) público municipal, sabia que você pode ter direito ao recebimento do FGTS?

Por todo o Brasil, muitos funcionários públicos municipais, admitidos sem concurso público antes de 1988, têm direito ao recebimento de valores referentes ao FGTS, porém, os municípios empregadores jamais lhes esclareceram esse fato e, tampouco, realizaram o pagamento dos valores devidos.

Esses funcionários públicos que ingressaram no quadro de pessoal dos municípios, sem prévia aprovação em concurso público, após a promulgação da Constituição Federal de 1988 foram efetivados como empregados públicos municipais, o que significa dizer que o vínculo jurídico existente entre esses funcionários e os municípios é regido pelas regras “celetistas” (CLT), tratando-se, assim, de típica relação de emprego, o que lhes assegura o direito ao recebimento dos valores acumulados a título de FGTS.

Ocorre que, infelizmente, diversos municípios empregadores, na tentativa de burlar os direitos desses trabalhadores, editaram leis municipais, estabelecendo a instituição de regime jurídico único e estatutário para o seu quadro de pessoal. Todavia, é importante explicar que tais leis não tiveram, e não têm o poder de transformar automática e unilateralmente a situação jurídica de quem até então era celetista (que tem direito a FGTS!) em estatutários (que não têm direito a FGTS). (mais…)

ARTIGO: Discutindo igualdade de gênero nas escolas

Diante de um crescente número de violência contra as mulheres, acredito que se torna imprescindível essa discussão dentro  das escolas do nosso país.  O conceito de igualdade de gênero deve ser abordado dentro do ambiente escolar, pois através dessas discussões podem ser abordados contextos histórico de submissão da mulher e do patriarcado, essa herança que acaba refletindo em violência contra a mulher.

Atentando também para a necessidade de entender que o estudo sobre gênero propõe o desafio de tornar o indivíduo capaz de identificar as especificidades do contexto histórico da sociedade. Propondo ainda, que as relações de gênero possuem um caráter histórico no sentido que são construções sociais e como tal precisa ser analisada criticamente. É pensado dessa forma que uma abrangência maior do dialogo da questão de gênero com os alunos e alunas e seus pertencimentos em relação a sua identidade de gênero dentro e fora do ambiente escolar

Incluir a história das mulheres nas escolas é uma das formas que podem contribuir para a exterminar o machismo e empoderar as mulheres. O papel da escola é formar cidadãos e cidadãs, com a consciência que homens e mulheres sejam iguais em direitos, dentro de uma sociedade. A discussão sobre igualdade de gênero pode proporcionar um conhecimento dos direitos das mulheres e o respeito dos homens com as mesmas.  O ambiente escolar é ideal para construir alunos e alunas formadores de opiniões e sequentemente suas ações irão refletir na sociedade atual.    (mais…)

Voltar à página inicial