Por Jailton Campos – urologista

A vasectomia é um método de esterilização para os homens. Um assunto ainda cercado de muitos preconceitos, tabus e, principalmente, falta de conhecimento. Na maioria das vezes a mulher é totalmente responsabilizada pelo controle da natalidade. Mas o homem pode participar efetivamente, se submetendo a uma vasectomia. E mesmo com muitos mitos e tabus, esta participação dos homens no controle de natalidade, tem crescido bastante no país.

De acordo com os dados do Sistema Único de Saúde (SUS), no Brasil o número de vasectomias cresceu mais de 40,5%, partindo de 26.311 procedimentos realizados em 2009, para 36.964 quase dez anos depois, em 2018. Em 2019, foram registradas mais de 49 mil.

“Apesar do número crescente, muitos homens ainda têm medo de se submeter ao procedimento, principalmente devido aos diversos mitos disseminados sobre o assunto. Entre as dúvidas mais comuns destacam-se a possibilidade da cirurgia causar impotência sexual, dor crônica ou perda da sensibilidade peniana”, afirma o urologista Jailton Campos.

A vasectomia interrompe o fluxo de espermatozoides produzidos pelos testículos e que normalmente seriam conduzidos pelo sêmen durante a ejaculação. Apesar de poder ser revertida, através de microcirurgia, a cirurgia é considerada um método contraceptivo definitivo.

Em setembro deste ano, foi sancionada a nova lei do planejamento familiar que passou por mudanças e diminuiu algumas exigências para os interessados em realizar a vasectomia. Na prática, se um homem quiser fazer uma vasectomia, ele não precisa mais de autorização da mulher e a legislação também reduziu de 25 para 21 anos a idade mínima para realizar o procedimento.

 “O procedimento torna os homens estéreis, mas em nenhum momento interfere na produção de hormônios, tampouco na ereção. É apenas um método contraceptivo extremamente seguro para casais ou homens que decidem não ter filhos”, explica Campos.

O especialista acrescenta que em muitos homens a realização da vasectomia pode gerar um aumento na libido, pois deixam de lado a preocupação sobre uma possível gravidez e passam a aproveitar a relação sexual de maneira mais intensa e comprometida.

Além de seguro e rápido, a vasectomia é um método contraceptivo bastante efetivo, cuja eficácia é próxima de 100%. “É extremamente importante informar a população das vantagens desse método para o controle da natalidade, desfazer os preconceitos machistas que o cercam e divulgar os lugares onde o serviço está à disposição”, conclui o urologista Jailton Campos.

Oliveira Comunicação