Após cinco dias de buscas, o idoso que teve a casa soterrada em Amargosa, interior da Bahia, segue desaparecido. Segundo o município de Amargosa, o Corpo de Bombeiros Militar da Bahia, junto com a equipe do Núcleo de Operações da cidade tem contado com apoio de cães farejadores nas buscas. O trabalho será retomado nesta quinta-feira, dia 16. O soterramento ocorreu na sexta-feira, dia 10, em Ribeirão dos Caldeirões, zona rural da cidade.

Gildásio Ribeiro, de 89 anos, é marido de Elita Pereira, de 80, e pai de Eliana Pereira, de 40, que foram encontradas mortas no domingo, dia 12. No último sábado, o prefeito decretou situação de emergência em Amargosa. “De acordo com dados que recebemos, choveu 200 mm em apenas quatro horas. O acumulado de chuvas entre novembro e dezembro é já representa o maior volume de chuva dos últimos 50 anos em Amargosa. Estamos desde cedo nas ruas trabalhando na busca das pessoas em situação de risco. Estamos acolhendo os desabrigados nas escolas municipais”, disse o prefeito.

A situação de calamidade por causa das chuvas no sul e extremo sul da Bahia começou na última semana. O temporal que atinge as regiões é causado pela Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), que é uma faixa de nuvens que se estende desde o sul da região amazônica até a região central do Atlântico Sul.

G1/ Bahia