Um caso de denúncia contra policiais militares do 14° Batalhão de Santo Antônio de Jesus, no Recôncavo, é acompanhado pelo comando-geral da corporação. Segundo o denunciante, que preferiu não se identificar, o filho dele, de 21 anos, tem sido alvo de perseguição de PMs há pelo menos dois anos. Na segunda-feira, dia 22, policiais motorizados [Falcões] teriam chutado a motocicleta do jovem em uma abordagem, o que quase provocou a queda dele. Além de agressões físicas e verbais, o denunciante afirma que o filho, que trabalha como mototaxista, recebe multas replicadas sobre o veículo que usa. Só nos dias 9 e 10 deste mês, o jovem teria sido punido com duas notificações contestadas.

Os casos ainda envolvem intimidação, humilhação pública e ameaças de morte. Em um dos relatos, o homem contou que na noite do dia 28 de setembro passado, o mototaxista foi preso ao transportar um homem que levava drogas sem conhecimento do jovem. Os dois foram levados para a delegacia, mas o portador da droga foi liberado enquanto o mototaxista ficou detido. No local, o jovem sofreu agressões como tapa no rosto, além de o celular tomado e acessado pelos policiais. Ainda na delegacia, conta o denunciante, os policiais convidavam pessoas para atribuir assaltos ao mototaxista.

Segundo a corporação, um procedimento foi aberto para apurar a suspeita de perseguição a Matheus, o que incluiu os depoimentos dos PMs apontados como pivôs das agressões. A corregedoria disse ainda que uma das sindicâncias sobre o caso foi arquivada. A justificativa é que o pai do mototaxista teria se recusado a comparecer à delegacia para prestar depoimento. No entanto, a entidade declarou que novas denúncias foram registradas e a corregedoria acompanha as ações.

Bahia Noticias