O corpo de Maria Damiana dos Santos, de 55 anos, que foi morta e enterrada no quintal de seu bar, localizado na Rua da Linha, em Santo Antônio de Jesus, não foi enterrado nesta última quarta-feira, dia 11, como estava previsto. Ao Tribuna do Recôncavo, o coordenador do DPT em Santo Antônio de Jesus, Dr. Lino Oliveira, falou que, pelo fato do corpo está em avançado estado de decomposição, não foi possível coletar as impressões digitais.

Mas, como Maria Damiana tem uma prótese dentária, a equipe do DPT solicitou da família da vítima algum documento, laudo ou exame radiológico para fazer a comparação. Se a família não tiver esse documento vai ser necessário fazer o exame de DNA, cujo resultado pode demorar mais de 30 dias.

Dr Lino concluiu explicando que mesmo tendo outras evidências que indiquem que aquele corpo é de Maria Damiana, o DPT só pode libera-lo para o sepultamento depois que o mesmo for identificado.

“Entendo que há uma ansiedade muito grande para que a família enterre seu ente querido, mas é preciso entender que o corpo está sendo submetido a um processo de investigação de um crime bárbaro que precisa ser elucidado da melhor forma possível. Então, cada detalhe é importante para que a gente coloque isso no laudo policial, e esses detalhes técnicos vão servir como forma de auxiliar na instrução do inquérito policial”, explicou o coordenador Lino.

Em entrevista ao Tribuna do Recôncavo, a filha de Maria Damiana dos Santos, Ivonete dos Santos, falou que não encontrou os exames solicitados e não sabe onde sua mãe fazia tratamento odontológico. Na oportunidade, ela pede encarecidamente a direção dessa clínica que disponibilize uma cópia do exame. O telefone de Ivonete é (75) 9 8316-6662.

Fonte: Tribuna do Recôncavo

MATÉRIAS RELACIONADA:

Homem mata companheira e enterra corpo no quintal de bar

Familiares e amigos de Maria Damiana realizam manifestação em frente ao Fórum