A cantora e compositora, Lari Almeida, de 27, foi uma das finalistas na categoria Profissionais da Saúde do festival nacional de música “eFESTIVAL” com a canção “Você me perdeu”, de sua autoria em parceria com o produtor musical e compositor Tigo Saundz.

Baiana nascida no município de Serrinha, território do Sisal, Lari foi classificada para a primeira etapa da fase final através do júri técnico composto pelo jornalista e crítico musical Carlos Calado, além do maestro, arranjador, produtor, compositor e pianista, Ruriá Duprat. Lari Almeida segue para a segunda etapa e conta com o apoio do júri popular. A votação está aberta no portal eFestival, e segue até dia (10) de julho, às 23h59m, no site (https://www.efestivalcancao.com.br/).

“Muito feliz em seguir nessa próxima etapa. Que seja muito rico pra todas e todos nós! Conto com a ajuda do seu voto”, pontuou Lari Almeida.

“Você me perdeu”, canção escolhida para a competição musical, segue disponível no canal do Youtube da cantora – (Lari Almeida), acompanhado do vídeo clipe, conta com a produção audiovisual e fotografia de João Vieira, produção musical de Tigo Saundz e  a presença dos músicos Erick Paz e Well Santiago. O festival tem o apoio da Lei de Incentivo à Cultura, tem a apresentação pelo Ministério do Turismo, patrocínio máster da Sul América e realização do Dançar Marketing, Secretaria Especial de Cultura, Ministério do Turismo e Pátria Amada – Governo Federal.
Conheça a finalista Lari Almeida

Mulher negra nascida no município de Serrinha, território do Sisal, Lari Almeida é cantora, compositora e musicista independente. Desde a infância, tem relação com a poesia, composição e com o canto. Utilizava a música como porto seguro, pois, por ter sido uma criança muito tímida, encontrou, através da arte, um caminho para superar as dificuldades em comunicar-se melhor com o mundo ao seu redor.

Diante das adversidades em dedicar-se à construção de uma carreira artística, chegou a pensar que não viveria o sonho de cantar devido às vulnerabilidades socioeconômicas familiares. Acrescentado a isso, havia a construção da ideia que ouvia na sua juventude de que “não vai dar certo”, ou “isso não é para você”, ou “você precisa estudar para ter um emprego de verdade”. Mesmo com a falta de incentivo, Lari não se rendeu aos obstáculos vividos e buscou estratégias para não se afastar por completo do que faz de melhor, a música.

Na tentativa de não se distanciar, Lari Almeida investiu nas competições de artes nas escolas, nas categorias de poesias, paródias e dança, bem como durante a graduação em saraus universitários. Além disso, mantinha a paixão por recitar poesias e pelo canto vivo no seu cotidiano. Em 2016, a música se reafirmou em sua vida, quando, durante um processo depressivo que quase a tirou do ambiente acadêmico, voltou a se aproximar de si mesma e de seus familiares. Passou a se reunir em casa com uma amiga que se dedicava a ensinar um pouco do que sabia de violão e a convidava para cantar junto com outras amigas que lhe auxiliavam nos cuidados com sua saúde mental.

Para afirmar a transformação que a música possibilitou em sua vida, Larissa alçou voos. Hoje, graduada em fisioterapia pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB), mantêm o sonho vivo de ser uma profissional de saúde e, em paralelo, busca sempre estar próxima à música.

Agora, Larissa Almeida se junta com parceiros da música e do audiovisual (João Vieira, Erick Paz, Tiago Moraes e Well Santiago) e encara o desafio de voltar a sonhar, soltar a voz e compartilhar sua arte com o mundo no palco mais digital da música, graças a oportunidade criada através do eFestival na categoria Canção.

ASCOM