Evento acontecerá nesta sexta-feira, 20, no Museu do Recolhimento dos Humildes, localizado na praça Frei Bento, no centro da cidade

A cidade de Santo Amaro da Purificação, no Recôncavo baiano, será palco do primeiro desfile de moda afro promovido por jovens do programa Cultura.Rec, desenvolvido pela Bracell em parceria com o Centro de Referência Integral de Adolescentes (Cria). O evento será realizado nesta sexta-feira, dia 20, às 16h, no Museu do Recolhimento dos Humildes, na praça Frei Bento, no centro da cidade.

Neste dia, os jovens apresentarão o resultado do projeto “Moda e Resistência do Recôncavo”, que tem como objetivo criar, produzir e organizar um desfile com peças autorais, enaltecendo a beleza dos afrodescendentes periféricos do município.

De acordo com Amanda Quenupe, especialista em Responsabilidade Social da Bracell, além do desfile, haverá ainda exposições das peças e acessórios confeccionados pelos integrantes do programa. “A ideia é dar visibilidade ao trabalho dos jovens estilistas e designers da cidade, tornando-os conhecidos por meio de seus trabalhos”, pontua.

Ainda na sexta, às 9h, em Santo Amaro, acontecerá uma apresentação da Banda Marcial de Acupe (Bamac), formada por crianças e jovens de 7 a 29 anos. Essa iniciativa também conta com o apoio do Cultura.Rec. O evento terá início no colégio Castro Alves e seguirá em cortejo pela comunidade de Acupe. Já no sábado, 21, nessa mesma unidade de ensino, será realizado o Festival de Talentos de Acupe, com a apresentação do grupo teatral “Os desencantados”, a partir das 11h.

Para fechar a série de atividades do Cultura.Rec, acontecerá no domingo, dia 22, em São Sebastião do Passé, a apresentação do espetáculo “Entrelaço”, no anfiteatro da praça da SEC. Segundo Amanda, a ação, fruto do projeto da Bracell, propõe a pesquisa corporal que utiliza a dança e a capoeira, além das linguagens do teatro e da música estimular crianças, adolescentes e jovens. “Entrelaço se propõe a unificar, incentivar e agregar ainda mais valor à cultura de São Sebastião do Passé”, afirma.

ASCOM