Vacina de Oxford contra coronavírus começa a ser testada no Brasil

Vacina de Oxford contra coronavírus começa a ser testada no Brasil - cienciaImagem de Michal Jarmoluk por Pixabay

Os testes da vacina contra o coronavírus, produzida pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, começaram nesta segunda-feira, dia 22, no Brasil, segundo o Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais (CRIE) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), que coordena a aplicação da vacina no estado.

A vacina testada no Brasil é uma das 141 candidatas cadastradas na Organização Mundial de Saúde (OMS) e está entre as 13 que já estão em fase clínica de testes em humanos no mundo.

“Há um caminho importante a ser percorrido agora pelos especialistas antes de podermos celebrar bons resultados. O que virá depois, ainda não sabemos. Enquanto isso, o foco da Fundação Lemann está em acompanhar a iniciativa. Há muitas pessoas e organizações trabalhando colaborativamente para o sucesso e, junto delas, esperamos dar nossa contribuição para que a pandemia seja superada, com foco e atenção ao Brasil e sua gente, nosso maior compromisso”, disse a nota da Fundação Lemann, uma das financiadoras do projeto no Brasil.

Metro1

Cientistas identificam primeiro medicamento que comprovadamente reduz mortes por coronavírus

Cientistas identificam primeiro medicamento que comprovadamente reduz mortes por coronavírus - cienciaFoto: Sumaia Villela/ Agência Brasil

Cientistas de Oxford, no Reino Unido, disseram ter identificado o primeiro medicamento que comprovadamente reduz as mortes relacionadas ao coronavírus. O tratamento com Corticoide dexametasona, quando administrado em pacientes graves que recebem oxigênio, reduz em um terço a mortalidade entre os pacientes mais graves da Covid-19. A conclusão foi publicada nesta terça-feira, dia 16, através de um grande teste clínico. “A dexametasona é o primeiro medicamento que observamos que melhora a sobrevivência em caso de Codiv-19”, anunciaram os autores do teste britânico Recovery.

Segundo o governo britânico, o país começará a administrar imediatamente dexametasona em pacientes com a Covid-19. O anúncio foi feito pelo ministro da Saúde, Matt Hancock, depois dos resultados do estudo. “Estamos trabalhando com o Serviço Nacional de Saúde para que o tratamento padrão contra a Covid-19 inclua a dexametasona a partir desta tarde”, disse o chefe da pasta.

Ao todo, 6 mil pacientes foram testados. Segundo os cientistas, um estudo que será publicado nos próximos dias mostra os resultados para 2.104 pacientes selecionados aleatoriamente, que foram medicados com a dexametasona, por via oral ou intravenosa. Eles foram comparados a 4.321 pacientes tratados convencionalmente. (mais…)

Maioria das pessoas com coronavírus desenvolve anticorpos, diz estudo

Maioria das pessoas com coronavírus desenvolve anticorpos, diz estudo - cienciaImagem de Kalhh por Pixabay

Um estudo feito pelo Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, dos Estados Unidos, indicou que a maioria das pessoas contaminadas pelo novo coronavírus desenvolve anticorpos após se curar da doença.

A pesquisa foi feita com pessoas de Nova York que testaram positivo para Covid-19. O estudo analisou 624 pacientes e, destes, 511 possuíam altos níveis de anticorpos presentes. Em outros 42 foram detectadas as defesas naturais em níveis fracos e 71 deles não tinham nenhum anticorpo.

Uma possibilidade que está ainda em estudo é de que aqueles que tenham os anticorpos se tornem doadores de plasma sanguíneo para pessoas que ainda estejam com a doença no corpo, como opção de tratamento.

Metro1

THCP e CBDP: Cientistas descobrem dois novos canabinoides

THCP e CBDP: Cientistas descobrem dois novos canabinoides - cienciaImagem Ilustrativa | Foto: Pixabay

A Cannabis sativa produz mais de 400 químicos, mas apenas um deles, o THC, tem efeito psicoativo. No entanto, um grupo de pesquisadores italianos anunciou, no último dia 30 de dezembro, a descoberta de dois novos químicos, os canabinoides tetra-hidrocannabiforol (THCP) e o cannabidiforol (CBDP).

O primeiro, o THCP, seria 30 vezes mais potente que o THC, segundo os pesquisadores. Não se sabe se ele é realmente psicoativo, mas em ratos a substância foi mais ativa que o THC em doses menores. Já o CBDP seria um primo do CBD. Conforme noticiou a Vice, a descoberta do THCP, publicada no Scientific Reports, pode explicar algumas das variabilidades do consumo recreativo de maconha. Isso também pode explicar alguns dos aspectos medicinais do THC, que é usado para tratar náusea e perda de apetite em pacientes com câncer e HIV, entre outras coisas.

As quantidades de THCP e CBCP encontradas no estudo também foram baixas. Os pesquisadores analisaram uma variedade de cannabis de baixo THC chamada FM2, que é cultivada pelo exército italiano. Mas THCP e CBDP podem ser mais abundantes em outras cepas, o que seria preciso investigar. Por enquanto, ainda não se sabe para o que CBDP e THCP podem ser úteis. Para os pesquisadores, é possível que esses químicos possam tratar certas condições ainda melhor que seus homólogos.

Bahia Noticias

Implementação do 5G só começa em 2022, diz ministro da Ciência

Implementação do 5G só começa em 2022, diz ministro da Ciência - cienciaFoto: Wilson Dias/ Agência Brasil

Para os brasileiros, a implementação do 5G só deve começar a acontecer em 2022, segundo estimativa feita pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações e Comunicações, Marcos Pontes. A tecnologia vai permitir conexão sem fio dez vezes mais rápida que a do 4G.

Segundo Pontes, o leilão para selecionar as empresas que vão atuar no 5G só deve sair em 2021. O motivo é a possibilidade de um entrave técnico, que pode causar interferência com antenas parabólicas para televisão em uma das frequências que vão ser leiloadas.

“Tenho que ter pelo menos uma estratégia de mitigação. Imagino que no fim de 2021 e começo de 2022 comece a ter implementação de um piloto”, estimou o ministro.

Metro1

Brasileiros desenvolvem tecnologia de reconstrução craniana

Brasileiros desenvolvem tecnologia de reconstrução craniana - cienciaFoto: Fernando Frazão/ Agência Brasil

Pesquisadores de oito instituições federais, estaduais e municipais desenvolveram uma tecnologia de reconstrução craniana, que poderá atender pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). De acordo com o pesquisador da Fiocruz e neurofisiologista Renato Rozental, coordenador da equipe multidisciplinar, foi desenvolvida uma prótese para reconstrução de defeitos ósseos extensos da calota craniana.

O pesquisador disse que um paciente fica, às vezes, sete ou oito anos esperando por uma solução, porque as possibilidades que existem no mercado são muito caras, com uma prótese de titânio chegando a R$ 200 mil. Esse valor envolve somente a malha de titânio, disse. “É inviável”. A solução que o grupo liderado por Renato Rozental desenvolveu é 20 vezes mais barata, ou seja, tem custo em torno de R$ 10 mil. O pesquisador salientou que esse preço é sem escalonar. “Quando nós escalonarmos o processo, vai ficar ainda mais barato e, além disso, tão eficaz ou mais do que o titânio”.

Rozental esclareceu que uma vez que o paciente tenha uma janela, um buraco ou uma ferida óssea no crânio, este fica fragilizado. Se colocar uma malha de titânio e a cabeça do paciente sofrer novo impacto, o crânio que já está fragilizado pode rachar. Já a prótese apresentada pelo grupo liderado pela Fiocruz foi desenvolvida de tal forma que, se houver um outro impacto, o que vai fragmentar é a prótese e não o crânio da pessoa.

Agência Brasil

Semana Nacional de Ciência e Tecnologia começa nesta segunda-feira

Semana Nacional de Ciência e Tecnologia começa nesta segunda-feira - cienciaFoto: Tomaz Silva/ Agência Brasil

Começa nesta segunda-feira, dia 21, a 16ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), que promoverá eventos em todo o Brasil com o objetivo de dar visibilidade às descobertas e inovações produzidas por instituições nacionais de pesquisa. A ideia é popularizar esse tipo de conhecimento, muitas vezes restrito a acadêmicos, para os cidadãos, especialmente os mais jovens. A SNCT é uma iniciativa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), em parceria com secretarias da área nos estados e municípios, além de universidades, escolas e instituições de ensino e pesquisa.

Neste ano, a SNCT terá como tema “Bioeconomia: diversidade e riqueza para o desenvolvimento sustentável”. A cada ano, um assunto é escolhido como forma de orientar as atividades e voltar a atenção para problemas relacionados. De acordo com o MCTIC, o tema foi escolhido pela importância do fomento a projetos voltados a estimular o desenvolvimento sustentável em diversos campos, como biotecnologia industrial, saúde e agronomia, entre outros.

Até domingo, dia 27, mais de 5,2 mil atividades devem ser promovidas por 172 instituições ligadas aos governos federal, estaduais e municipais, escolas, centros de pesquisa e entidades da sociedade civil. Ao todo, os eventos preparados para a semana serão realizados em 278 municípios, em 23 estados e no Distrito Federal. Para conhecer a programação, busque mais informações na página do evento, no site do MCTIC . (mais…)

Cientistas temem que óleo no litoral contamine manguezais

Cientistas temem que óleo no litoral contamine manguezais - cienciaFoto: Marcos Rodrigues/ Secom

Pesquisadores do Centro de Excelência em Geoquímica do Petróleo da Universidade Federal da Bahia (Ufba) começaram analisar amostra do petróleo encontrado nas praias de Sergipe e no município baiano de Conde, nesta segunda-feira, dia 07.

Segundo os cientistas, o material está degradado e existe o risco eminente de que ele contamine áreas de mangue, ecossistema que é considerado o berçário da vida marinha. A direção do Instituto de Biologia (Ibio-Ufba) já disponibilizou quatro especialistas, que viajarão nesta quarta-feira, dia 09, para ajudar o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) no diagnóstico da situação dos ecossistemas marinhos das regiões baianas afetadas.

Mesmo sendo um dos últimos estados onde o petróleo chegou, as manchas avistadas foram consideradas grandes tanto pelo Instituto de Geociências quanto pelo Ibio. Três cidades baianas registraram aparições do óleo: Conde, Esplanada e Jandaíra (Mangue Seco). (mais…)

Falta de dinheiro adia conclusão do maior projeto científico do país

Falta de dinheiro adia conclusão do maior projeto científico do país - cienciaFoto: P. Horálek/ ESO

O principal projeto do governo federal de pesquisa científica, o Sirius, em Campinas, interior de São Paulo, não ficará completamente pronto até o fim de 2020, conforme previsto inicialmente. Com a maior e mais complexa infraestrutura científica já construída no Brasil, o projeto recebeu até setembro repasse de R$ 75 milhões dos R$ 255,1 milhões previstos para 2019 — 29,4% do total. Do valor repassado, R$ 50 milhões foram gastos.

O Sirius é um laboratório de luz síncrotron de 4ª geração, que atua como uma espécie de “raio X superpotente” que analisa diversos tipos de materiais em escalas de átomos e moléculas. Atualmente, há apenas um laboratório de 4ª geração de luz síncrotron operando no mundo: o MAX-IV, na Suécia. No Brasil, essa tecnologia só está disponível em equipamentos de 2ª geração, em funcionamento há 30 anos.

Apesar de garantir o início de operação no próximo ano, o diretor do projeto, Antônio José Roque da Silva, diretor-geral do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), destaca que o orçamento dotado pelo governo federal impede a conclusão no prazo inicial. Segundo ele, a entrega de todas as 13 linhas de pesquisa previstas no Sirius deverá ficar para 2021.

G1

Cientistas da Nasa detectam nuvem de gás que sugere vida em Marte

Cientistas da Nasa detectam nuvem de gás que sugere vida em Marte - cienciaFoto: EFE/ NASA

Cientistas da Agência Espacial dos Estados Unidos (Nasa) descobriram mais uma evidência que pode haver vida em Marte, após o veículo Curiosity identificar uma grande quantidade de metano dispersa na atmosfera do planeta. Produzido normalmente por seres vivos, o gás sugere micróbios vivem no planeta. A descoberta, feita durante uma medição no planeta vermelho realizada na quarta-feira (19), foi divulgada pelo jornal norte-americano The New York Times neste sábado (22).

Na Terra, organismos conhecidos como metanogênicos prosperam em lugares sem oxigênio, como rochas subterrâneas profundas e tratos digestivos de animais, e liberam metano como resíduo. Contudo, conforme explicam os cientistas, reações geotérmicas, não biológicas, também podem gerar o gás. Com isso, também é possível que ele tenha ficado retido dentro de Marte por milhões de anos, tendo escapado apenas agora, por meio de rachaduras. Ao chegar em Marte, em 2012, o Curiosity procurou por metano e não encontrou nada.

Depois, no ano seguinte, foi detectado um pico repentino, de até 7 partes por bilhão, que durou pelo menos dois meses. A medição desta semana encontrou 21 partes por bilhão de metano, ou seja, três vezes o pico registrado de 2013.

“Diante desse resultado tão surpreendente, estamos realizando um experimento de acompanhamento neste final de semana”, afirmou Ashwin R. Vasavada, cientista à frente do projeto, em e-mail obtido pelo NYT.

Redação: Bahia.Ba | Fonte: Estado de S. Paulo

Sonda volta a captar imagem hipnotizante de Júpiter

Sonda volta a captar imagem hipnotizante de Júpiter - mundo, cienciaFoto: Divulgação/ NASA

A sonda Juno voltou a captar uma imagem hipnotizante de Júpiter, desta feita de um vórtex negro visível entre as nuvens do planeta.

“A sonda Juno da NASA captou esta visão de uma área a mostrar um vórtex com um centro negro intenso. Nas proximidades é possível ver nuvens brilhantes de alta altitude que emergiram para a luz do Sol”, disse a NASA sobre a imagem.

Desde 2016 que a sonda Juno orbita Júpiter, sendo esta a 20ª aproximação da sonda ao planeta.

Noticias ao Minuto

Após vencer feira mundial de ciências brasileira dará nome a asteroide

Após vencer feira mundial de ciências brasileira dará nome a asteroide - mundo, ciencia, brasilFoto: Arquivo Pessoal/ DW

A brasileira Juliana Davoglio Estradioto, de 18 anos, terá seu nome em um asteroide. A honra é fruto da sua vitória em uma das principais categorias da maior feira internacional de ciências e engenharia para jovens cientistas pré-universitários. O prêmio da Intel Isef (International Science and Engineering Fair) 2019 foi realizado na última sexta-feira (17) em Phoenix (EUA) e contou com quatro dias de competição entre 1.800 jovens entre 15 e 19 anos, vindos de diversos países.

O projeto que garantiu o primeiro lugar da categoria Ciências materiais para Juliana, permite o aproveitamento de resíduos que sobram no processamento da macadâmia para produção de uma membrana biodegradável. Esse produto poderia ser utilizado para produzir desde embalagens até curativos, substituindo materiais sintéticos com um material natural e reaproveitando algo que seria descartado.

A brasileira disse que não acreditou ao ouvir seu nome como vencedora e que ainda está “sem palavras”. “Quando falaram Osório, o nome da minha cidade, eu ainda pensei ‘deve ter outra cidade no mundo chamada Osório. Não deve ser verdade’. Quando subi no palco, o cara que estava apresentando começou a rir da minha cara. Eu só chorava. Eu realmente achava que seria impossível ganhar”, admitiu. Como prêmio pelo primeiro lugar da categoria, além de receber 3 mil dólares, Juliana poderá nomear um asteroide com um dos seus sobrenomes. (mais…)

Nasa revela os três finalistas de concurso para desenhar casa em Marte

Nasa revela os três finalistas de concurso para desenhar casa em Marte - mundo, cienciaFoto: NASA/ Team SEArch+/ Apis Cor

Mesmo que nenhum astronauta tenha pisado na superfície de Marte, a Nasa já está pensando na solução de um problema: construir uma casa no planeta. Para isso, a agência espacial lançou o desafio 3D-Printed Habitat Challenge.

Nesta competição, a Nasa procura por designes de casas que possam ser usadas em outros planetas e, agora, conseguiu chegar a três finalistas. Os designs criados pelas equipas SEArch+/Apis Cor (Nova York), a Zopherus (Arkansas) e a Mars Incubator (Connecticut) chegaram ao final da competição da Nasa.

Cada uma das três finalistas recebeu um prêmio de 100 mil dólares. A competição acontece desde 2015 e terá a sua última fase entre os dias 1 e 4 de maio.

Noticias ao Minuto

Birita que não faz mal e não dá ressaca chegará ao mercado em 5 anos

Birita que não faz mal e não dá ressaca chegará ao mercado em 5 anos - cienciaFoto: Pixabay

Parece mentira, mas não é pegadinha de primeiro de abril. Um cientista inglês desenvolveu uma substância que dá a mesma sensação e o barato do álcool, mas que não faz mal à saúde. E melhor: não dá ressaca. Segundo David Nutt, diretor do centro de neuropsicofarmacologia do Imperial College London, a bebida deve chegar ao mercado nos próximos cinco anos.

O criador do líquido anunciou a novidade para o jornal inglês The Guardain. A substância sintética foi batizada de alcarelle. David Nutt e seus colegas já a produzem regularmente. Segundo informações da Folha de S. Paulo, eles a bebem com sucos de frutas para disfarçar o gosto, que não é lá essas coisas.

Por que então o negócio não é lançado já? “A parte regulatória é muito mais difícil do que a a ciência”, diz o professor. Antes de aparecer nas lojas e botecos, o tal alcarelle vai precisar enfrentar etapas e mais etapas de testes e certificações governamentais, além de encontrar indústrias dispostas a investir na manguaça ressaca-free.

Bahia.Ba

Astrônomos anunciam descoberta de uma nova lua

Astrônomos anunciam descoberta de uma nova lua - mundo, cienciaFoto: Pixabay

A descoberta de uma nova lua no sistema solar foi anunciada por cientistas, nesta quarta-feira (20). Chamada de Hipocampo, o satélite foi avistado flutuando ao redor do planeta Netuno pelo Hubble, telescópio espacial da Nasa. Ao que tudo indica, trata-se de um fragmento da segunda maior lua do planeta, a Proteu, conforme estudo divulgado pela Agência Espacial Europeia (ESA).

Também ajudaram na descoberta dados mais antigos da sonda Voyager 2, que se aproximou de Neturno em 1989. “Em 1989, pensávamos que a cratera era o fim da história. Com o Hubble, sabemos agora que um pequeno pedaço de Proteu ficou para trás e que é Hipocampo”, afirmou o coordenador da equipe de astrônomos, Mark Showalter, do Instituto norte-americano Seti.

A lua Hipocampo, que teria cerca de 34 quilômetros de diâmetro, foi descoberta em 2013 e a sua órbita está muito próxima da de Proteu, lua que, de acordo com os astrônomos, teve origem em uma colisão envolvendo os satélites naturais de Neturno, um dos gigantes gasosos e o último planeta do sistema solar. Há bilhões de anos, Neturno capturou um corpo enorme da cintura de Kuiper, que, defendem os especialistas, corresponde à maior lua do planeta, a Tritão. (Lusa)

Asteroide de 40 metros pode se chocar com a Terra este ano

Asteroide de 40 metros pode se chocar com a Terra este ano - mundo, cienciaFoto: Pixabay

Existe uma lista com 816 asteroides considerados potencialmente perigosos para os humanos, uma vez que podem vir a chocar com o nosso planeta nos próximos 100 anos. O número seis desse ranking pertence ao 2006 QV89 que, de acordo com a Agência Espacial Italiana (ASI), pode atingir a Terra no próximo dia 9 de setembro. Mas ainda é cedo para alarmismos pois, explica a ASI, só em julho será possível conhecer com precisão a trajetória que o asteroide vai efetivamente ter.

“Com os dados que temos agora, a probabilidade de impacto é equivalente a sermos atropelados por um trem se atravessarmos uma linha sem olhar, sem ver e ouvir, mas sabendo que passa um trem a cada 15 horas”, explicou Ettore Perozzi, da ASI. O que se sabe por agora, e na pior das hipóteses, é que o 2006 QV89 pode atingir a Terra a uma velocidade de 44 mil quilômetros por hora, arrasando uma superfície de até dois mil quilômetros quadrados.

Em termos comparativos, a capacidade de destruição é semelhante à que foi causada pelo asteroide que caiu na Sibéria em 1908. A questão que se coloca, destacou Rolf Densing, diretor do Centro Europeu de Operações Espaciais, não é se um asteroide vai ou não atingir o planeta Terra, mas, sim, quando isso acontecerá, lê-se no jornal La Vanguardia. (Noticias ao Minuto)

Voltar à página inicial