A estatal russa Gazprom realizará um corte extra nos fluxos de gás para a Europa através do gasoduto Nord Stream 1, que agora opera com 20% da capacidade máxima, conforme comunicou a operadora de rede alemã Gascade em nota nesta quarta-feira, dia 27.

A Gazprom declarou na última segunda, dia 25, que os fluxos de gás seriam reduzidos ao desligar uma turbina para reparos. O ministro da Economia alemão, Robert Habeck, reagiu à declaração e respondeu que “não há razão técnica para uma redução nas entregas”. O gás estava fluindo a 40% da capacidade logo após a Rússia reduzir as exportações por consequência das sanções ocidentais.

O governo da Alemanha tem tentado armazenar o gás para evitar escassez no inverno. Segundo o regulador alemão de gás e eletricidade, atualmente as instalações estão com até cerca de 66% da capacidade. Na terça, os ministros da energia da União Europeia (UE) anunciaram uma meta voluntária de reduzir o uso de gás em 15% entre agosto e março de 2023, a fim de se preparar para o inverno. Os preços do gás subiram mais de 20% desde o início da semana.

Bahia.Ba