Barreiras nas entradas da cidade de Muritiba, no Recôncavo baiano, instaladas pela Prefeitura Municipal no último domingo têm impedido a entrada de pessoas que levam mercadorias essenciais, como remédios e alimentos perecíveis.

A barreira permite apenas o acesso de moradores e abre exceção para profissionais da área de saúde, veículos oficiais e ambulâncias, e funcionários públicos no exercício da função, além de pessoas que precisem de atendimento médico.

A prefeitura do município informou que esta é a primeira vez desde o início da pandemia do novo coronavírus que a cidade passa por medidas mais duras. Isto porque, os municípios vizinhos, Cachoeira e São Félix, tiveram aumento expressivo no número de casos e foi necessário decretar medidas mais severas de isolamento.

Sobre o risco de desabastecimento na cidade, a administração municipal afirma que o tempo de duração do fechamento não será suficiente para causar falta de mercadorias ou alta de preços. As divisas seguem fechadas acompanhando os decretos das cidades vizinhas que estão com medidas mais restritivas até o domingo, dia 2.

Editado pelo Tribuna do Recôncavo | Informações: Correio