A Justiça Eleitoral da Turquia anulou nesta segunda-feira (06/05), a eleição municipal de Istambul, que no final de março marcou uma contundente derrota para o presidente Recep Tayyip Erdogan  e encerrou um ciclo de mais de 20 anos de hegemonia do grupo político do mandatário na administração da cidade.  Segundo a agência de notícias estatal Anadolu, a Justiça Eleitoral determinou ainda a realização de um novo pleito na cidade, a maior da Turquia.

A decisão atendeu a um pedido da legenda de Erdogan, o Partido da Justiça e do Desenvolvimento (AKP), que havia apontado supostas irregularidades no pleito vencido pelo oposicionista Ekrem Imamoglu. A eleição municipal ocorreu em 31 de março. Na ocasião, o opositor Partido Republicano do Povo (CHP) conseguiu desbancar o candidato de Erdogan por uma diferença de 0,16% – menos de 14 mil votos.

Não foi a única derrota de Erdogan, que formou sua base política em Istambul após governar a cidade nos anos 1990. Seu partido também perdeu em Ancara, a capital do país, e falhou em desbancar a oposição do controle de Izmir, a terceira maior cidade da Turquia. Segundo a Anadolu, 7 dos 11 membros do Conselho Superior Eleitoral da Turquia votaram a favor de uma nova eleição em Istambul.

Em seu pedido, o AKP apontou problemas na contagem de votos, discrepâncias entre o número de votos e o de eleitores registrados, entre outras suspeitas. A decisão da corte deve aumentar a tensão na Turquia, que tem sido palco de conflitos sociais por causa da má situação econômica do país e o crescente autoritarismo de Erdogan. A nova eleição está prevista para ocorrer em 23 de junho.

Noticias ao Minuto