Uma das oito ararinhas-azuis que ganharam vida livre em Curaçá, no sertão baiano, em junho deste ano, foi encontrada morta na quinta-feira, dia 8. De acordo com o projeto, a ararinha foi encontrada morta próxima ao recinto e tudo indica que ela tenha sido vítima de predação. Esse é um processo natural e já esperado.

O Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio) aguarda mais informações de seus pesquisadores para se manifestar sobre o caso. Na última quarta-feira, dia 7, a ONG alemã Association for the Conservation of Threatend Parrots (ACTP) informou que uma outra ararinha-azul está desaparecida.

De acordo com a ONG, a ararinha saiu do grupo e não volta para a estação de alimentação desde a semana passada. A ONG, juntamente com o ICMBio, tentou localizar a ave de diversas formas, mas não teve sucesso. O instituto informou que todas as ararinhas soltas usam uma espécie de coleira de identificação. No caso da ave desaparecida, há duas possibilidades: ou o aparelho está danificado ou foi destruído.

Fonte: BlueSky Caatinga via G1/ Bahia