Preze de outubro é o Dia Mundial da Trombose, efeméride que integra a campanha de conscientização global liderada pela Sociedade Internacional de Trombose e Hemostasia (ISTH) para conscientizar as condições causadas pela trombose. Também conhecida como coágulos sanguíneos ou trombos, a doença é responsável por uma em cada quatro mortes em todo o mundo, segundo a própria ISTH.

Em sua nona edição e com o tema “Olhos Abertos à Trombose”, a campanha deste ano dedica-se a divulgar os sintomas e fatores de risco de coágulos sanguíneos com a ajuda de mais de 3 mil organizações parceiras em todo o mundo, que organizam mais de 10 mil ações de conscientização ao redor do planeta. A campanha global deste ano compartilha histórias pessoais de pacientes e sobreviventes que sofreram tromboembolismo venoso (TEV), com risco de vida, para destacar a prevalência dessa condição muitas vezes negligenciada.

Os coágulos sanguíneos são a causa subjacente de ataques cardíacos, derrames isquêmicos e tromboembolismo venoso (TEV), os três principais assassinos cardiovasculares. O TEV ocorre quando um ou mais coágulos sanguíneos se formam em uma veia profunda, mais frequentemente na perna (trombose venosa profunda, TVP), e podem viajar na corrente sanguínea e se alojar nos pulmões (uma condição conhecida como embolia pulmonar, EP).

“Os coágulos sanguíneos são muitas vezes esquecidos porque seus sintomas podem se assemelhar aos de muitas outras condições”, pontua a professora Beverley Hunt, presidente do Comitê Diretivo do Dia Mundial da Trombose em âmbito global. “É absolutamente crucial que os profissionais médicos e o público em geral estejam cientes dos sinais, sintomas e fatores de risco para garantir que os coágulos sanguíneos sejam tratados o mais rápido possível”, explica ela.

Com destaque para os fatores de risco associados aos coágulos sanguíneos de tromboembolismo venoso, as principais áreas da campanha do Dia Mundial da Trombose de 2022 têm como foco o tromboembolismo venoso (TEV):

  • Associado à internação hospitalar: mais de 50% dos TEV ocorrem durante ou após a internação hospitalar, de acordo com dados globais da Sociedade Internacional de Trombose e Hemostasia (ISTH). Por isso, a campanha deste ano convoca os profissionais de saúde a tomarem medidas como a realização de avaliações de risco de TEV quando os indivíduos são internados no hospital. A campanha incentiva ainda o público em geral a solicitar uma avaliação de risco de TEV quando for internado no hospital;
  • Associado ao câncer: pacientes com câncer são quatro vezes mais propensos a desenvolver um coágulo sanguíneo grave devido aos efeitos do câncer, cirurgia e quimioterapia, conforme a ISTH;
  • Associado ao gênero: homens são mais propensos a desenvolver coágulos sanguíneos do que as mulheres e, quando têm trombose, são mais propensos a ter recorrência do que as mulheres. As mulheres têm períodos em suas vidas em que estão em maior risco, por exemplo, se fizerem uso de contraceptivos orais hormonais ou terapia de reposição hormonal oral, e durante a gravidez e até seis semanas após o parto;
  • Associado à saúde mental: aumento da ansiedade, depressão e/ou transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) são comuns após um diagnóstico físico de um coágulo sanguíneo.

Dicas importantes que ajudam a prevenir coágulos sanguíneos:

  • Conheça os sinais e sintomas de um coágulo sanguíneo: dores nas pernas inexplicáveis, às vezes associadas a sensibilidade, vermelhidão e/ou inchaço. A embolia pulmonar (EP) pode causar falta de ar, respiração rápida, dor no peito e, ocasionalmente, tosse com sangue.
  • Solicite uma avaliação de risco de tromboembolismo venoso (TEV): todos os indivíduos, quando internados em hospital, devem solicitar ao seu profissional de saúde uma avaliação de risco de TEV, um questionário que reúne informações médicas para discernir os potenciais fatores de risco de um paciente para desenvolver coágulos sanguíneos.
  • Mantenha-se ativo e hidratado ao realizar longos períodos de trabalho sentado: defina um alarme para cinco minutos antes de cada hora e use esse tempo para se levantar, caminhar e se alongar. Permanecer imóvel por longos períodos de tempo pode aumentar o risco de coágulos sanguíneos. Beba bastante água para evitar a desidratação, que pode fazer com que o sangue engrosse, resultando em coágulos sanguíneos.

“Encorajamos todos, em todo o mundo, a se envolverem no Dia Mundial da Trombose para aumentar a conscientização e a educação do público sobre coágulos sanguíneos”, afirma a médica e professora Flora Peyvandi, presidente da ISTH. “Queremos agradecer ao professor Beverley Hunt (presidente) e ao Steering Committee, um grupo de pacientes e renomados especialistas médicos internacionais nas áreas de trombose, hemostasia, medicina interna geral e vascular e saúde pública, por cederem seu tempo, conhecimento e orientação para ajudar a campanha a impactar bilhões de pessoas a cada ano”, completa ela.

Sobre o Dia Mundial da Trombose

Lançado em 2014 e realizado anualmente em 13 de outubro, o Dia Mundial da Trombose visa aumentar a conscientização do público, dos profissionais de saúde e dos sistemas de saúde sobre a trombose e, ainda, reduzir as mortes e incapacidades por doenças tromboembólicas por meio de uma maior conscientização sobre suas causas, fatores de risco, sinais e sintomas e prevenção e tratamento baseados em evidências. Os organizadores globais do Dia Mundial da Trombose apoiam a meta global da Assembleia Mundial da Saúde de reduzir as mortes prematuras por doenças não transmissíveis em 25% até 2025, bem como o 13º Programa Geral de Trabalho da Organização Mundial da Saúde 2019–2023, o Roteiro de Montevidéu 2018-2030 sobre doenças não transmissíveis (DNTs) e a Declaração Política da Terceira Reunião de Alto Nível da AGNU sobre DNTs. Em âmbito global, a campanha é liderada pela Sociedade Internacional de Trombose e Hemostasia (SITH) e, no Brasil, por entidades médicas, entre as quais se destaca a Sociedade Brasileira de Trombose e Hemostasia (SBTH).

ASCOM