Na última quarta-feira, dia 08, o cantor Zezé Di Camargo e sua filha, também cantora, Wanessa Camargo, estiveram no programa The Noite com Danilo Gentili, exibido pelo SBT, para anunciar o documentário estreado na Netflix nesta quinta-feira, dia 09, que conta a história da carreira dos dois.

Na ocasião, Wanessa relatou que carrega traumas até hoje, ao ponto de se sentir perseguida o tempo inteiro, devido ao sequestro de seu tio, o cantor gospel Wellington Camargo, irmão de Zezé e Luciano, que foi sequestrado em 16 de dezembro de 1998 em sua casa, em Goiânia, por quatro homens armados, e foi resgatado no dia 21 de março de 1999, ficando 94 dias em cativeiro. “Eu nunca mais vou conseguir, aqui no Brasil, estar dirigindo e não ficar atenta se tem carro me seguindo ou se tem alguma outra coisa”, disse.

A cantora revelou que na mesma semana que Wellington foi resgatado aconteceu um assalto perto da sua escola e ela e seus irmãos tiveram que serem escondidos. “Naquele momento todos pensaram que eram os sequestradores, então nos esconderam. Depois desse incidente, nossas amigas se escondiam para não nos ver por medo de ficarem conosco. Nunca mais tive paz. Meu conto de fadas virou um terror. Tive que me refugiar em Miami por dois anos. Esse tempo foi a pior fase da minha vida”, detalhou.

Redação: Uanderson Alves/ Tribuna do Recôncavo