Muita gente não sabe, mas dormir bem e praticar exercícios físicos são contextos complementares. Acordar pela manhã com a sensação de que não descansou, sentindo o corpo pesado, o excesso de responsabilidades no trabalho, escola ou faculdade.

Tudo isso ocasiona problemas com as funções que exigem concentração, memória e, consequentemente, produtividade. Por conta disso, é que a falta de exercícios – também denominada sedentarismo – só piora esse quadro. A atividade física melhora o sono e dormir bem também favorece a prática de exercícios.

O exercício, se realizado de forma constante, libera hormônios que são benéficos contra a depressão, aumentam em 37% ou mais o período de sono das pessoas, emagrece e proporciona uma sensação de prazer. E quando uma pessoa dorme cerca de 7 a 8 horas por noite, melhora os efeitos do exercício físico, já que o metabolismo funciona melhor.

Com isso, pode perder mais gordura e ter mais precisão nos movimentos que faz durante a atividade. O contrário também pode acontecer. Quem faz atividade física, na medida certa e no horário certo, pode ter também melhora em alguns aspectos que influenciam na qualidade do sono, como a insônia e a síndrome das pernas inquietas.

Segundo Igor Castro, Diretor Técnico na Rede Alpha Fitness, a quantidade de serotonina que o corpo libera é maior pela manhã e ao longo do dia. O hormônio está envolvido em funções vitais do corpo, além de regular o humor e o sono.

Por isso, o exercício durante o dia aumenta a produção dessa substância, que tem um efeito anti-estresse, e à noite se transforma em melatonina, para que o indivíduo tenha uma ótima noite de sono. “Quem pratica atividade física dorme mais rápido, consegue relaxar, tem um sono mais profundo e de qualidade, se sente disposto, se concentra com maior facilidade e possui melhor rendimento”, explica Igor.

Pipa Comunicação Integrada