Por Maria Rita fostes civilmente registrada!

Por Dulce fostes religiosamente consagrada!

Conceitos e preconceitos desafiastes!

Indigentes e doentes com amor abraçastes!

Sofrestes advertência pela hierarquia religiosa e civil!

Incansável e firme, não baixou a cabeça, prosseguiu!

Seu lema: acolher, ofertar abrigo e carinho!

A oração! Tua fortaleza no peregrinar deste caminho!

Crianças, adultos e idosos, a todos acolhias!

Esperança e amor com o teu olhar transmitias!

Não te inibias! Esmola para os pobres pedia!

Os excluídos pela sociedade teu coração comovia!

Teu itinerário: percorrer palafitas, acolher retirantes, dar remédio aos moribundos, educar para a vida, doando-te de corpo e alma aos que a sociedade marginaliza!

Carinho, abrigo, comida, remédio, doou a tantos humanos carentes!

“A obra não é minha é de Deus!” Professava à tua gente!

Irmã Dulce! “O anjo bom da Bahia!”

Tua humildade e carisma nossos corações contagia!

Nas terras do Senhor do Bonfim, partilhastes o teu generoso coração!

O mundo te reconhece como mulher de fé e determinação!

És a SANTA DULCE DOS POBRES! Luz que reluziu na Bahia e pelos céus irradia!

És eternamente o anjo bom que com a vastidão de tuas asas o céu alcançou!

A Igreja de Cristo te reconhece! Os anjos entoam para Ti uma especial canção, a humanidade  rende graças a Deus, pela tua canonização!

Sobre a autora, 

Maria do Carmo da Silva Santos é autora do livro: RETALHOS DE VIVÊNCIAS e colunista do Tribuna do Recôncavo.