O deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) deixou a prisão no fim da manhã desta terça-feira, dia 09. Ele estava há cinco meses detido no Batalhão Especial Prisional (BEP), em Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro, onde ficam presos com foro privilegiado e policiais militares.

A soltura de Silveira foi autorizada na segunda-feira, dia 08, pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). Inicialmente, o parlamentar bolsonarista havia sido preso em fevereiro, por agressões verbais e ameaça aos ministros da corte. Mas, à época, ganhou direito à prisão domiciliar. Em junho, contudo, voltou a ser preso por violar o monitoramento eletrônico.

Na decisão atual, Alexandre de Moraes determinou a substituição da prisão por medidas cautelares, como a proibição de utilizar redes sociais e ter contato com investigados no inquérito que apura as ameaças. Silveira também está proibido de realizar postagens por meio de terceiros. Em abril, o deputado virou réu no Supremo pela acusação de incitar o emprego de violência para tentar impedir o livre exercício das atividades do Legislativo e do Judiciário e a animosidade entre as Forças Armadas e a Corte, por meio de vídeos publicados em suas redes sociais.

Metro1