A proposta da juíza eleitoral Ana Lúcia Todeschine Martinez, do Rio Grande do Sul, de limitar o uso da bandeira nacional durante a campanha política foi criticada pelo presidente e candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL). “É absurdo querer proibir o uso da bandeira do Brasil sob justificativa eleitoral”, escreveu o político do PL, via redes sociais.

Para a magistrada, a peça é hoje utilizada por pessoas “como sendo um lado da política”. Bolsonaro rebateu a tese: “Não tenho culpa se resgatamos os valores e símbolos nacionais que a esquerda abandonou.” O Artigo 13º da Constituição classifique a bandeira como símbolo nacional.

Em outra postagem, o postulante a um segundo mandato presidencial lançou mão da ironia. Comentou, em cima de uma suposta decisão de proibir a água na eleição para falar da transposição do Rio São Francisco: “A água está virando símbolo de nosso trabalho mesmo, já que está finalmente chegando nos lugares mais distantes do sertão nordestino”.

Bahia.Ba