O procurador-geral da República, Augusto Aras, encaminhou ao Supremo Tribunal Federal (STF) um pedido de reconsideração sobre abertura de inquérito para investigar declaração do presidente Jair Bolsonaro (PL), na qual o mandatário associa a vacina contra a Covid ao vírus da aids. Aras pediu que decisão do ministro Alexandre de Moraes seja revista.

O procurador alegou ainda que a autora do pedido de inquérito a CPI da Covid não teria, segundo ele, legitimidade. O procurador também citou uma suposta incapacidade postulatória da Advocacia do Senado para atuar no caso e a incompetência do ministro relator ante a ausência da alegada prevenção. Aras alegou que a autora do pedido de inquérito a CPI da Covid não teria, segundo ele, legitimidade.

O procurador também citou uma suposta incapacidade postulatória da Advocacia do Senado para atuar no caso e a incompetência do ministro relator ante a ausência da alegada prevenção. Em 3 de dezembro, Moraes determinou a instauração de inquérito para investigar o presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), por crimes contra a pandemia apontados pela CPI da Covid-19.

Bahia.Ba