Durante o 28º Grito dos Excluídos, realizado em Santo Antônio de Jesus (BA), na manhã desta quarta-feira, dia 7, Hélio Alves ouviu Ivan Rios, membro do Sindicato dos Trabalhadores em Água e Esgoto no Estado da Bahia (SINDAE), o qual falou sobre as consequências para a população caso a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) seja privatizada.

Segundo Ivan, atualmente o consumidor paga a prestação do serviço de tratamento e distribuição de água, conforme a Lei Federal 11.445 (Lei Nacional do Saneamento), cujas taxas e valores cobrados são definidas pelas Agências Reguladoras do Saneamento (AGERSA). Mas com a privatização os preços serão definidos a critério do interesse do mercado.

ASSISTA: