Cerca de 24 voluntários do Reino Unido iniciaram os testes com o uso da vacina contra a chikungunya. O estudo, executado por pesquisadores da Universidade de Oxford, foi apresentado, na última sexta-feira (10), no Simpósio Desafios e Oportunidades na Pesquisa Clínica em Chikungunya: Produzindo Evidências para Saúde Pública, no Rio de Janeiro.

De acordo com o infectologista Arturo Reyes-Sandoval, que apresentou a novidade, além dos 24 britânicos, 120 ou 150 mexicanos devem passar pelos testes. Ele também acredita que o Brasil poderá ser o próximo país incluído no estudo.

“O Brasil tem capacidade econômica e instituições fortes para poder produzir a vacina”. Estima-se que com o avanço das pesquisas, a vacina contra a chikungunya fique disponível em até cinco anos.

Informações da Agência Brasil | Redação: Bahia Noticias