O estudante de enfermagem cujas iniciais são I.L.F., de 26 anos, se apresentou à polícia no último domingo, dia 13, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Ele confessou que matou a técnica de enfermagem Rita Nogueira, de 27 anos, e ainda indicou o local onde teria deixado o corpo da vítima. Ainda assim, o mesmo foi liberado pela polícia e segue solto.

No registro de ocorrência, a justificativa do policial responsável é que a prisão em flagrante não foi necessária, uma vez que o suspeito se apresentou espontaneamente, acompanhado de advogada, e fez uma confissão informal. O suspeito forneceu detalhes do crime e apontou um motel no bairro de Sulacap como o local do crime. O corpo de Rita teria sido deixado em uma casa da família do suspeito. A polícia informou que periciou os locais e o carro que teria sido utilizado para transportar o corpo.

Rita foi encontrada morta na terça-feira, dia 15, em uma casa abandonada da família do suposto assassino. De acordo com familiares dela, o corpo tinha sinais de tortura e de estrangulamento. Imagens de uma câmera de segurança registraram ela saindo de sua casa e entrando em um carro com ele na noite de domingo, dia 13. O suspeito e Rita trabalhavam juntos em uma maternidade do Rio e se relacionavam há pouco mais de um mês. A família acredita que o mesmo tenha cometido o crime por ciúmes.

Editado pelo Tribuna do Recôncavo | Informações: Metro1