Um em cada seis homens tem câncer de próstata no Brasil, como mostram dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca). Mesmo sendo a segunda principal causa de morte por câncer de pessoas do sexo masculino, com cerca de 14 mil óbitos por ano, pouco é feito para previnir a doença, já que metade dos brasileiros nunca foram a um urologista.

“Infelizmente ainda há muito bloqueio por parte do público masculino em relação ao exame do toque retal. Felizmente, isso tem melhorado um pouco ao longo dos anos. Associado a esse tabu, de ser um exame um pouco mais evasivo, de mexer com a parte da sexualidade masculina, o homem acaba ficando com um pouco mais de receio de ir ao médico”, explicou Felipe Costa, médico urologista do Hospital do Homem, em São Paulo.

Segundo ele, a única forma segura de prevenir a doença é a consulta clínica, com todos os homens a partir dos 50 anos realizando o exame anualmente, e grupos de maior risco, como negros e indivíduos que têm histórico familiar de câncer de próstata abaixo dos 60 anos, fazendo acompanhamento a partir dos 40 a 45 anos.

Metro1