Em audiência pública realizada na tarde desta quinta-feira, dia 24, em Conceição do Almeida (BA), o Movimento Sem Teto, que ocupa o terreno da EBDA, não aceitou a proposta da gestão municipal. Esse terreno foi concedido pelo estado ao município para a construção de uma fábrica.

Em entrevista, o defensor público, Dr. Mauricio, disse que como a proposta oferecida pelo município não foi aceita o processo seguirá tramitação normal. “A defensoria pública vai fazer sua manifestação processual em defesa dessas pessoas como custo vulnerabilis”, explicou.

Já Leandro Santos, um dos integrantes do MST, falou que era esperado que a gestão municipal trouxesse uma forma de resolver de fato a situação das famílias: “A proposta que veio de casa e de cestas básicas de um certo tempo para nós não é viável porque nós que estamos lutando pela terra lutamos para ter um pedaço de terra definitivo”, disse.

Matéria: Tribuna do Recôncavo | Reportagem: Humberto Carlos/ Clube FM