A mãe do menino de 1 ano e 11 meses, que foi encontrado vivo depois de passar dois dias em um buraco na cidade de Santo Estêvão (BA) fez uma comunicação falsa à polícia e tentou ocultar o crime. A informação é do delegado Jean Souza, responsável pelas investigações, que disse que a mulher abandonou o garoto no dia do desaparecimento. Segundo o policial, a mulher foi até a delegacia, na segunda-feira, dia 16, comunicar o sumiço do filho um dia depois de deixar a criança. Ela admitiu que teve um “descuido” e uma “atitude irresponsável”, mas acreditava que a criança cujas iniciais são H.G. estivesse na vizinhança, como era de costume.

“Na verdade, ela havia abandonado a criança. Foi descoberta pelos policiais durante as diligências, razão pela qual ficou detida. Mas o fato de ter vindo [à delegacia], feito uma comunicação falsa e ter distorcido os fatos prejudicou as investigações. Inclusive, talvez responda por outro crime. Ela obstruiu as investigações e tentou ocultar o crime, que é o abandono do menor”, disse o delegado.

A criança foi encontrada pela agente de pedágio Carine Santana, que passava pelo local, às margens da BR-116, em um ponto que fica a cerca de 60 metros de onde a criança mora com a mãe. O garoto foi levado para o Hospital Doutor João Borges de Cerqueira, com desidratação e febre. Genivaldo Pereira, pai do menino, que não morava com o bebê e a mãe, disse que soube do desaparecimento somente um dia depois e que vai lutar judicialmente para ter a guarda da criança. A mãe do garoto foi presa no mesmo dia que comunicou o caso à polícia. Ela foi liberada no dia seguinte, após o pagamento de fiança. A mulher deve responder, em liberdade, por abandono de incapaz e tentativa de obstrução das investigações da Polícia Civil.

Editado pelo Tribuna do Recôncavo | Informações: G1/ Bahia