A Polícia Civil de Nazaré das Farinhas, no Recôncavo baiano, através do SI, em cumprimento a mandado judicial de prisão preventiva, prendeu nesta última quinta-feira, dia 22, um homem de 43 anos, de iniciais G.S.S., acusado de estuprar a própria neta, de apenas 6 anos de idade.

De acordo com as investigações, o acusado, que é avô materno da pequena criança, colocava os dedos nas partes íntimas da vítima, provocando o xixi, para então abrir a boca, beber o líquido e passar a língua. Continuando as investigações, se descobriu que este mesmo acusado estuprava a própria filha, quando ela tinha a idade de 13 anos, mantendo relações sexuais, inclusive tendo a desvirginado. Assim, não satisfeito em ter estuprado a filha, quando esta era criança, o acusado estava cometendo o mesmo crime agora com a netinha. O crime era praticado às escondidas, quando a mãe saia de casa, e com ameaças, caso a criança contasse a alguém.

Foi realizada a escuta especializada da criança vítima de abuso sexual, através da profissional de saúde, a qual concluiu em relatório que o fato ocorrido pode comprometer o desenvolvimento afetivo e cognitivo da criança, devido aos abusos de natureza sexual e psicológico. O caso teve o acompanhamento do Conselho Tutelar da Cidade de Nazaré, que confeccionou relatório dos atendimentos e diligenciou numa rede de proteção à criança.

Segundo o delegado Adilson Freitas, que comandou a operação, a sociedade precisa entender e conhecer os sinais que as crianças nos dão para demonstrar que elas estão sendo vítimas de abuso sexual. “Precisamos tratar e conhecer esse assunto, não podemos aceitar a ‘cultura do estupro’ e a Polícia Civil irá agir de forma rápida e eficaz para punir esses casos, não deixando ficar impune”, alertou. “Nesse caso em específico, aquele que tinha o dever de cuidado e proteção, foi quem cometeu os abusos inaceitáveis”, concluiu o delegado.

Nos canais de comunicação da Polícia Civil é possível encontrar orientações sobre como acontece e como denunciar crimes que são cometidos contra crianças e adolescentes. O acusado irá responder pelo crime de estupro de vulnerável e poderá ser condenado a uma pena de até 15 anos de prisão. G.S.S. está recolhido na carceragem da Unidade Policial de Nazaré e será encaminhado ao Presídio Regional, onde ficará a disposição da Justiça Criminal.

Editado pelo Tribuna do Recôncavo | Informações: PC