Os internos Júlio César da Silva Rocha, Everson Avelino de Jesus e Antônio Marcos Vitória Nunes foram executados no último sábado, dia 7, no Conjunto Penal de Feira de Santana (BA). Júlio e Antônio tiveram suas cabeças decapitadas.

Segundo a direção do Conjunto Penal, as mortes dentro da unidade estão relacionadas a outros homicídios ocorridos fora da penitenciária, ligados a uma facção do crime organizado. Outros detentos do pavilhão 8 pediram para sair por não se sentirem seguros no local.

Por orientação do Superintendente Luciano Viana, foi feita uma revista nos pavilhões que tinham presos remanescentes de uma organização criminosa, dando o direito de saírem do pavilhão aqueles que não se sentiam seguros. Todos os presos envolvidos nas três celas foram ouvidos pela equipe da Polícia Civil na própria unidade e serão responsabilizados pelo crime cometido, além de responderem administrativamente por falta disciplinar.

Editado pelo Tribuna do Recôncavo | Informações: Acorda Cidade