O árbitro uruguaio Andrés Cunha e o assistente de vídeo, o também uruguaio Esteban Ostojich, foram suspensos por tempo indeterminado pela Conmebol. Os dois atuaram no empate por 0 a 0 entre Argentina e Brasil, em San Juan, pela 14ª rodada das Eliminatórias da América do Sul para a Copa do Mundo do Catar de 2022.

A entidade do futebol sul-americano considerou que houve erro grave na ausência de punição para o zagueiro Otamendi, da Argentina, pela cotovelada em Raphinha, do Brasil, ainda no 1º tempo do jogo. Andrés nem falta marcou. Na revisão, Ostojich considerou o lance faltoso, mas com aplicação de cartão amarelo por ter sido um golpe de intensidade média. Andrés Cunha seria o árbitro de vídeo na final da Copa Sul-Americana entre Athletico e Bragantino, no sábado, no Uruguai. Com a punição, ele dá lugar ao também uruguaio Leodan González.

Na nota divulgada nesta quarta, a Conmebol considera que houve “conduta violenta do jogador n°19, Nicolás Hernán Gonzalo Otamendi (ARG), contra um adversário, colocando em risco a integridade física do mesmo com uso do braço no rosto.” Diante disso, a Comissão de Árbitros da Conmebol suspendeu os árbitros Andrés Cunha e Esteban Ostojich “por tempo indeterminado no exercício de suas funções” em competições organizadas pela Conmebol. Os árbitros já foram notificados.

Bahia.Ba