Com verbas cortadas pelo Ministério da Educação (MEC) por suposta “balbúrdia” e “baixo desempenho”, a Universidade Federal da Bahia (Ufba) melhoraram sua posição no principal ranking universitário internacional, o Times Higher Education (THE).

O mesmo ocorreu com outras duas universidades afetadas pelo corte: a Universidade de Brasília (UnB) e a Universidade Federal Fluminense (UFF). O ranking da publicação britânica THE, um dos principais em avaliação do ensino superior, mostra que UnB e Ufba tiveram melhor avaliação na última edição.

Já na classificação das melhores da América Latina, a UnB passou da 19ª posição, em 2017, para 16ª no ano seguinte. A universidade baiana ainda passou da 71ª para 30ª posição. A UFF manteve o mesmo lugar, em 45º. As três se destacam pela boa avaliação em ensino e pesquisa. A UnB e a Ufba aparecem entre as 400 melhores instituições do mundo em cursos da área da saúde.

Redação: Metro1 | Fonte: Estadão