A agora ex-secretária Nacional de Políticas para as Mulheres, Tia Eron, confirmou o desligamento da pasta neste sábado (4). A previsão da saída da baiana foi noticiada nesta sexta-feira (3) (ver aqui). A demissão se devia a queixas da ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, sobre a produtividade de Eron.

Em nota, a assessoria da ex-deputada federal contestou os argumentos de improdutividade. Disse que realizou 18 ações com apenas dois meses de posse na secretaria, enquanto outras diretorias, como as comandadas por Lilian Nunes, Morgana Macena, Roberta Monzini e Crislane Pinto, “não ofertaram resultado”. Tia Eron considerou essas mulheres como “núcleo duro da inoperância”.

Eron declarou que o estopim para a demissão ocorreu no dia 30 de abril, quando as citadas se recusaram a assinar o acordo de compromisso da SNPM com a Defensoria Pública da União e a Secretária de Justiça e Cidadania do Distrito Federal. Na oportunidade, diz a ex-deputada, ocorria a comemoração do Dia da Mulher Brasileira e as diretoras se negaram até a tirar foto com a ministra Damares.

Ainda em nota, Tia Eron disse que “segue tranquila e agradece muito a Ministra Damares, ao Presidente Jair Bolsonaro, a bancada feminina da Câmara, ao PRB, e aos servidores da Secretaria”.

Fonte: Estadão | Redação: Bahia Noticias