Nesta quinta-feira, 26/03, em entrevista a Rádio Clube FM, o padre Wilson Vitoria, chanceler da Diocese de Amargosa e pároco da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Santo Antonio de Jesus, falou sobre as principais orientações da Diocese de Amargosa nesse tempo de pandemia do Coronavírus(Covid-19) para evitar aglomerações e mesmo após o pronunciamento do presidente da República Jair Bolsonaro, elas serão mantidas.

O padre Wilson ressaltou na sua entrevista a importância da parte religiosa como essencial para manter o equilíbrio, a paz, a comunhão com Deus e com os outros; Sobre as orientações nesse tempo de pandemia, afirmou que é levado em conta os decretos municipal e estadual e a Organização Mundial de Saúde(OMS) que no momento orientam para a questão do isolamento social, para o caminho da prevenção. Houve também a nota pastoral da Diocese de Amargosa, onde o bispo Dom Valdemir em comunhão com os padres mostra isso: evitar aglomerações, inclusive estendendo até a Semana Santa, sendo que evitar aglomeração tem sido o ponto essencial para evitar a disseminação do vírus, então a igreja continua nesse caminho.

“ É algo importante estar com o povo, mas nesse momento cada um em sua casa; já estamos fazendo as celebrações de portas fechadas, transmitidas pelas rádios e outros meios de comunicação e por outro lado estamos esperando o andar da carruagem, quando o comércio abrir suas portas vamos analisar e sendo possível tomar outras decisões”- afirmou ele.

Sobre o decreto do Presidente da República, o pároco afirmou que não houve uma conversa mais recente com Dom Valdemir, mas nesta semana houve a segunda nota, em comunhão com o Vaticano, as orientações que vêm da Santa Sé sobre a Semana Santa de forma mais restritiva, o clero e uma pequena equipe, a nível de consenso como clero essa é a opinião, que se permaneça com as portas fechadas.

Sobre as declarações do presidente, o entrevistado declarou que ele está pensando mais no econômico do que no humano e a igreja não pode ir nessa linha. A igreja sempre defendeu a dignidade e a promoção da vida, a defesa e acima de tudo a vida humana. Frisou também a Campanha da Fraternidade deste ano, que aborda o “ver, sentir compaixão, cuidar”, o que Santa Dulce fez, Madre Tereza de Calcutá e aparece a imagem do samaritano, que é a imagem do próprio Cristo e nós como cristãos devemos ter também esse olhar misericordioso.

Ao término da entrevista, o padre Wilson, deixou a seguinte mensagem:

“Então no momento é isso, cada um de sua casa, cuidando de si, para cuidar do bem comum. Aproveitar esse momento que é difícil, desafiador para tirar as lições possíveis, a comunhão com a família, a busca dos valores, naquilo que estava se perdendo, a busca da solidariedade. Que a paz permaneça com todos.”

Redação: Jocinere Soares/ Tribuna do Recôncavo