A indústria brasileira contabilizou aumentos no faturamento, no emprego, na massa salarial e no rendimento médio em junho, registrando no período o melhor desempenho mensal em 2022. As conclusões são dos Indicadores Industriais, da Confederação Nacional da Indústria (CNI), divulgados nesta quarta-feira, dia 03. Segundo a entidade, os Indicadores Industriais apontam uma expansão do faturamento real da indústria de transformação de 0,9% em junho, na comparação com maio.

É a segunda alta seguida. O faturamento ficou apenas 0,1% abaixo do índice de junho de 2021. O emprego na indústria avançou 0,4% na comparação com maio, acumulando também a segunda alta consecutiva, que superaram três meses de quedas. Em relação a junho do ano passado, o crescimento é de 2%. Outro dado positivo foi o aumento de 2,4% entre junho e maio da massa salarial da indústria de transformação, que chegou ao seu ponto mais elevado desde março de 2020 (durante a pandemia). Na comparação com junho do ano passado, a alta ficou em 2,5%.

De acordo com o gerente de Análise Econômica da CNI, Marcelo Azevedo, o segmento tem conseguido contornar ou minimizar as dificuldades relacionadas ao fornecimento de insumos e matérias-primas. “Observamos alta no faturamento real, além da recuperação do emprego e dos rendimentos desacompanhada do aumento das horas trabalhadas e da utilização da capacidade instalada, que permanece elevada, sem variações expressivas desde o início do ano”, relatou.

Bahia.Ba