O manejo integrado da mosca-negra-dos-citros, importante praga que prejudica o desenvolvimento e a produção das plantas cítricas, vai ser discutido, via YouTube, nesta quinta-feira, dia 6, às 14h, pela Embrapa Mandioca e Fruticultura em Cruz das Almas/ BA.

O assunto vai ter dois secretários estaduais – o deputado federal licenciado Josias Gomes, atualmente secretário de Desenvolvimento Rural do Estado da Bahia, e o secretário da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura do Estado da Bahia, Lucas Costa – como debatedores do evento organizado pelo Setor de Gestão de Transferência de Tecnologia e moderado pelo chefe-geral Alberto Vilarinhos.

Três apresentadores vão abordar dois temas: Manejo integrado da mosca-negra-dos-citros: do laboratório à aplicação no campo (Wilson Maia, professor da Universidade Federal Rural da Amazônia/UFRA); e A mosca-negra-dos-citros na citricultura baiana (Antonio Nascimento, pesquisador da Embrapa Mandioca e Fruticultura, e Suely Brito, fiscal estadual em Defesa Agropecuária e coordenadora do Programa Fitossanitário dos Citros da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia/Adab).

No Brasil, o primeiro relato da mosca foi em julho de 2001, e na Bahia em 2010. Medidas de restrição de trânsito de vegetais, controle químico e orientação aos agricultores não foram suficientes para deter o avanço desta praga em todo território nacional. Os citricultores do território do Recôncavo Baiano estão acumulando prejuízos e muitos têm se desestimulado com a atividade e abandonado suas áreas. A citricultura constitui-se na base da economia da região, sendo a principal fonte de renda da maioria dos agricultores familiares.

Mosca-negra

De origem asiática, a mosca-negra (Aleurocanthus woglum) causa danos diretos e indiretos aos citros e prejudica o desenvolvimento e a produção das plantas. Pode ser disseminada por transporte de material vegetal, principalmente plantas ornamentais, pelo homem e carregada pelo vento.

Seu hábito alimentar sugador induz o aparecimento de Capinodium citri, fungo negro que recobre ramos e frutos, depreciando-os comercialmente e reduzindo a produtividade, levando a perdas entre 20 e 80% da produção.

As espécies de citros são os hospedeiros primários, mas a praga pode infestar mais de 300 espécies de plantas, incluindo abacateiro, cajueiro, videira, lichieira, goiabeira, mamoeiro, pereira e roseira, plantas ornamentais e daninhas, sendo transportadas facilmente entre regiões.

Serviço:

Evento: “Manejo integrado da mosca-negra-dos-citros”

Data: 6/8, às 14h

Link direto para o evento: https://youtu.be/eebK7NqG4dA

Editado pelo Tribuna do Recôncavo | Informações: ASCOM