O Instituto Federal da Bahia (Ifba) e a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), informaram nesta última quarta-feira, dia 01º, que suas atividades podem ser paralisadas nas unidades de ensino em setembro, em decorrência do corte orçamentário no Ministério da Educação (MEC).

O governo federal determinou um corte de mais de R$ 3 bilhões no orçamento do MEC para o ano de 2022, em uma tentativa de atender ao teto de gastos. Com isso, haverá um bloqueio linear de 14,5% no orçamento discricionário das universidades federais. O Ifba deixará de receber cerca de R$ 12,6 milhões, que seriam investidos nos 22 campi da instituição.

Já a UFRB, comunicou que o bloqueio significa um corte de mais R$ 6,6 bilhões “que afetam diretamente a manutenção e o funcionamento institucional, comprometendo o pagamento de despesas essenciais, tais como: energia elétrica, água, serviços terceirizados, compra de materiais, manutenção predial e de equipamentos, bolsas e auxílios estudantis, bem como investimentos em equipamentos e obras também serão severamente comprometidos”, diz nota publicada pela a universidade.

A Universidade Federal da Bahia (Ufba) também será fortemente impactada pelo corte, deixando de receber mais de R$ 26 milhões, segundo o reitor João Carlos Salles.

Editado pelo Tribuna do Recôncavo | Informações: Metro1