Por Rafaella Cardoso – fonoaudióloga

Você já percebeu que as suas orelhas e a sua audição têm relação direta com o cérebro, o coração e os músculos do rosto? Não é apenas uma ligação física, mas também emocional. Escutar faz bem, mexe com as emoções. Quem escuta os sons da vida sorri mais, se relaciona melhor com as pessoas, tem mais disposição, é mais feliz! Não tem preço que pague poder escutar aquela música favorita; as primeiras palavras de um filho ou neto; o gol do time do coração.

Mas o excesso de barulho no dia a dia, acrescido de hábitos prejudiciais ao longo da vida – como ouvir música alta no celular e em aparelhos eletrônicos -, vêm contribuindo para que a perda de audição ocorra cada vez mais cedo. Por isso, aos primeiros sinais de dificuldades para ouvir, procure um médico otorrinolaringologista e/ou um fonoaudiólogo. A audição perdida não volta. No entanto, na maioria dos casos, é possível resgatar os sons por meio da adaptação aos aparelhos auditivos.

“O diagnóstico precoce, baseado em exames como o de audiometria, e seguido de um tratamento imediato, ajuda muito a manter o indivíduo ativo em sociedade. Além disso, quando a perda auditiva é tratada precocemente, a adaptação às próteses auditivas é mais efetiva e o indivíduo pode participar das atividades do dia a dia com mais tranquilidade e naturalidade”, explica a fonoaudióloga Rafaella Cardoso, especialista em Audiologia da Telex Soluções Auditivas.

Consequências da perda auditiva:

Se você tem um amigo ou familiar mais calado, isolado, com aparência entristecida, fique atento porque esse comportamento arredio pode ser consequência de problemas auditivos.

“Por não conseguir entender o que as pessoas ao redor estão falando, a pessoa prefere, muitas vezes, se afastar e, assim, evitar constrangimentos para ele e para os outros. Além do isolamento social, o quadro pode evoluir para depressão, falha na memória, declínio cognitivo, quedas e ocasionar até aumento na incidência de hospitalizações. A perda de audição é um dos mais incapacitantes distúrbios de comunicação humana”, adverte a fonoaudióloga da Telex.

Dicas para cuidar da saúde auditiva:

Medidas simples no dia a dia podem prevenir danos à audição.

* Cuidado com o som alto no carro. O volume em excesso em ambientes fechados não se propaga e pode causar prejuízos ao sistema auditivo.

* Controle o volume da TV e de outros aparelhos sonoros dentro de casa. Cuidado! Não permita que suas orelhas se acostumem ao som alto.

* Se usar fones de ouvido, tente manter o volume no nível médio, com o qual você possa conversar, mesmo ouvindo música.

* Sempre que possível, descanse sua audição em um lugar silencioso por pelo menos 1 hora.

* Limpe corretamente suas orelhas com uma toalha. As hastes flexíveis de algodão não podem ser inseridas dentro das orelhas.

* Evite ambientes com ruídos excessivos. Caso não seja possível, use protetores auriculares ou diminua o tempo de permanência nesses locais.

* Atenção redobrada com certas doenças, como as otites. Evite as otites de repetição. Para isso, qualquer sensação incômoda, dor ou zumbido, procure logo um otorrinolaringologista e/ou um fonoaudiólogo especialista em Audiologia.

Quase 2,5 bilhões de pessoas em todo o mundo – uma em cada quatro pessoas – viverão com algum grau de perda auditiva até 2050, alerta o primeiro “Relatório Mundial sobre a Audição” da Organização Mundial da Saúde (OMS), divulgado no ano passado.

O Brasil tem, atualmente, 2,2 milhões de pessoas com deficiência auditiva, segundo a Pesquisa Nacional de Saúde 2019, realizada pelo IBGE em convênio com o Ministério da Saúde.

ASCOM – Telex Soluções Auditivas