No domingo, dia 01, aconteceu a eleição para a composição da nova diretoria da ALER – Academia de Letras do Recôncavo, na qual a varzedense Marilene Oliveira foi eleita presidente para o mandato 2020-2021. Pela primeira vez, ao longo de vinte e um anos de fundação, uma mulher presidirá a referida Academia. A ALER é composta por escritores e escritoras de vários municípios do Recôncavo Baiano.

Marilene é autora de três livros de poesias: Quando o coração fala mais alto, Confissões da alma ao encontro do sol e Versos em ressonância. Além disso, integra dezenove obras literárias publicadas por várias editoras e divulgadas até em outros países. É organizadora de uma antologia poética, cujas produções são dos seus ex-alunos. Vencedora de alguns concursos literários e destaque em um concurso internacional em homenagem ao centenário de Jorge Amado, ocupando o terceiro lugar em os dez melhores. Possui graduações em Pedagogia (FACE), Língua Portuguesa e Literaturas Brasileira e Portuguesa (UNEB), Especialização em Estudos Linguísticos e Literários (FACE) e Mestrado em Gestão de Políticas Públicas e Segurança Social (UFRB).

Em entrevista ao Tribuna do Recôncavo, Marilene falou que é uma honra está na presidência da Academia de Letras do Recôncavo.

“A vida nos proporciona muitas surpresas…menina simples, tímida, da zona rural, aluna de escola pública e de classe multisseriada, todavia, sempre acreditei e lutei pelos meus objetivos. Sei que não é uma missão tão simples, principalmente, substituir um grande presidente que foi o nobre confrade, escritor e jornalista, Almir de Oliveira. Mas, contarei com o apoio e a participação dos demais membros, para que juntos continuemos hasteando a bandeira da literatura”, disse.

Na oportunidade, Marilene informa que no primeiro semestre de 2020, haverá concurso de poesias e será aberto ao público. Em breve, teremos maiores informações e o lançamento do edital.

Fonte: Tribuna do Recôncavo