O município de Santa Terezinha (BA), no Piemonte do Paraguaçu, realizou neste último domingo, dia 16, no povoado do Cercadinho, o Encontro da Agricultura Familiar. Houve oficinas, entrega de mudas, entrega de DAPS, CEFIR, Títulos de Propriedade Rural, entrega de caixas de colmeias, entre outras atividades.

Em uma das oficinas, o engenheiro agrônomo Joselito fez a demonstração do plantio da palma forrageira, uma cultura plantada na região semi-árida. Segundo Joselito, a região nordeste tem 1 milhão e 600 mil quilômetros quadrados de extensão, e desses, 75% é região semi-árida.

Santa Terezinha: Palma Forrageira gera esperança para criadores de gado, caprinos e ovinos - santa-teresinha, noticias, destaque

Na foto: Joselito | Crédito: Hélio Alves/ Tribuna do Recôncavo

“Então, a palma forrageira vem pra dar suporte aos agricultores quando estes estão com suas pastagens dizimadas e a gente faz jus a este plantio para que eles não percam os seus rebanhos, que é uma atividade que eles tem na região, e esse rebanho é que mantem os agricultores no campo”, disse.

Ainda segundo Joselito, em Santa Terezinha a gestão municipal optou pela variedade inerme.

“As pessoas tem agora a oportunidade de introduzir aqui na região essa palma pra ter uma variedade muito boa e com alta produtividade, em torno de 400 toneladas por hectare, que vai ajudar na manutenção dos rebanhos bovino, caprino e ovino”.

O primeiro corte da palma pode ser feito um ano após o plantio e o local deve ser cercado. A diferença da palma forrageira para a tradicional é que a mesma não tem espinho, é doce e pequena. Além das mudas de palma, os agricultores receberam mudas frutíferas e essenciais florestais.

Redação: Tribuna do Recôncavo | Reportagem: Felipe Pereira/ Clube FM