Quem foi ao Colégio Estadual Edvaldo Brandão, em Cajazeiras, Salvador, na manhã deste sábado, dia 14, teve uma amostra de como será o inédito Festival Literário Nacional (Flin), que acontece de 12 a 15 de novembro, no Ginásio Poliesportivo do bairro. Com aulão e intervenções artísticas, a abertura do Pré-Flin foi uma prévia do evento que será realizado pelo Governo do Estado com o intuito de fortalecer e aproximar o público de assuntos que dialogam diretamente com a juventude.

Maior bairro populacional da América Latina com mais de 600 mil habitantes, Cajazeiras foi escolhido para sediar o Festival por reunir públicos diversos, como explicou Zulu Araújo, diretor da Fundação Pedro Calmon (FPC) e coordenador do Flin e do Pré-Flin. “O pontapé inicial do Festival, que envolve doze secretarias do Estado, foi dado hoje. Cajazeiras é uma cidade dentro da cidade e merecia receber um evento totalmente focado na juventude e que vai contar com nomes como Elisa Lucinda, MV Bill e Lázaro Ramos”, destacou.

De acordo com a titular da Secretaria da Cultura do Estado (Secult), Arany Santana, é uma data para ficar na história do bairro. “Hoje é um dia marcante para o Estado e para todos que fazem parte da grande comunidade que é Cajazeiras. Este evento literário coloca a juventude como protagonista, ampliando o acesso ao livro, à leitura, ao conhecimento. Tudo isso com a participação de diversas secretarias estaduais e da sociedade civil”, lembrou a secretária.

Com o tema ‘Diversas Literaturas & Novos Caminhos’, o Festival é realizado pela Secult, via FPC, e conta com a parceria das secretarias de Administração (Saeb); Comunicação (Secom); Educação (SEC); Meio Ambiente (Sema); Saúde (Sesab); Políticas para as Mulheres (SPM); de Promoção da Igualdade Social (Sepromi); Tecnologia e Ciência (Secti) e de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), além da Bahiatursa e da Fundação Cultural (Funceb).

Salvador: Festival Literário Nacional é lançado em Cajazeiras - salvador, educacao

Foto: Paula Fróes/ GOV-BA

Informações: Renata Preza/ Secult