O ministro da Economia, Paulo Guedes, classificou as discordâncias entre o presidente Jair Bolsonaro e integrantes da equipe econômica de “barulheira”. Os dois lados bateram cabeça sobre a forma de financiamento do programa social Renda Brasil. Nesta terça-feira, o presidente disse ter ficado “surpreendido” ao ler as manchetes dos jornais sobre as medidas em estudo pela equipe econômica para abrir espaço no Orçamento de 2021 para bancar o Renda Brasil. Uma das propostas era o congelamento das aposentadorias e pensões por dois anos. Ele afirmou que quem sugere essa medida merece “cartão vermelho”.

Guedes afirmou hoje, em uma videoconferência sobre reformas e o futuro da economia brasileira após a pandemia, que a punião não seria para ele. “Hoje teve essa barulheira toda. Estamos fazendo conexões de pontos que não estão conectados. São estudos que fazemos, estamos assessorando. Varias simulações e estudos são feitos. Tratamento seletivo da informação distorce tudo”, afirmou Guedes.

“Como todos jornais deram isso hoje, que o presidente vai tirar dinheiro dos idosos, frágeis e vulneráveis para passar aos paupérrimos, o presidente repetiu o que tinha dito antes. E levantou um cartão vermelho, que não foi para mim. Conversei com o presidente hoje cedo. Lamentei muito essa interpretação”, continuou o ministro.

Metro1