Após um pedido do Ministério Público da Bahia (MP-BA), a justiça baiana realizou, na tarde desta terça-feira, dia 16, novo júri popular de Mateus Viliam Oliveira Alecrim Dourado Araújo, ex-namorado e réu confesso do assassinato da jornalista Daniela Bispo dos Santos, em 2017. No novo julgamento que ocorreu no Fórum Ruy Barbosa, o acusado teve a pena aumentada de 17 anos e 10 dias para 23 anos e 5 meses de prisão.

Nesse pedido, o MP-BA solicitou que o crime fosse configurado como feminicídio, tendo em vista as circunstâncias do caso e o relacionamento pessoal entre o assassino e a vítima, já que na primeira condenação, em 2018, o crime tinha sido considerado pela Justiça como homicídio qualificado, praticado por motivo torpe, recurso que tornou impossível a defesa da vítima e meio cruel. Neste primeiro julgamento, os jurados afastaram a qualificadora do feminicídio. Daniela Bispo foi assassinada em novembro de 2017, em seu local de trabalho, aos 38 anos, golpeada com uma pedra na cabeça e com socos.

Ainda com vida ela despencou do 6º para o 5º andar do edifício onde trabalhava, na Av. Tancredo Neves, e foi encontrada morta. Ela deixou dois filhos. O criminoso premeditou o crime e após matar a ex-namorada fugiu utilizando táxis e ônibus e trocando de roupa pelo caminho. Após o término do relacionamento que tinham, Daniela passou a cobrar o pagamento de compras que Mateus havia feito no seu cartão de crédito, quando foi montada a emboscada que acabou na sua morte.

BNews