Um veículo Ford Ranger de uma empresa terceirizada do município de Valença (BA), foi apreendido pela polícia, nesta quarta-feira, dia 25, após denúncias de que se tratava de um carro roubado. Na denúncia, a informação é de que três carros teriam sido apreendidos, entre eles, o que prestava serviço ao município. O proprietário do carro, que seria roubado, disse que caiu em um golpe após comprar o veículo há um ano e meio.

O valor teria sido de R$ 100 mil, sendo que metade foi pago na hora e outra foi parcelada. Depois de um mês da compra do carro e com apenas duas parcelas pagas, o vendedor morreu de covid-19 e ele teria procurado a esposa do homem para saber quem era o ex-dono do carro para fazer a transferência do veículo. “Ela falou que não conhecia o ex-dono e eu disse: ‘então pronto, eu não posso pagar a senhora, quando a senhora me conseguir o dono, eu te passo o dinheiro’. Aí ela me disse que não sabia quem era o dono, e eu deixei acontecer”, contou.

O homem, que usava o carro para trabalhar, reclama que ficou um prejuízo de R$ 52 mil pois, já teria pago essa quantia sem saber que se tratava de um veículo adulterado/roubado. A delegada responsável pelo inquérito confirmou a prisão de um funcionário que prestava serviços a prefeitura de Valença. Ela contou que o homem pagou fiança e responde em liberdade, mas ressaltou que o caso está em sigilo e a investigação só deve ficar pronta daqui a um mês.

Em nota, a prefeitura, através da secretária municipal de saúde, informou que “após tomar conhecimento dos fatos envolvendo um veículo terceirizado, notificou a empresa vencedora do processo licitatório e está apurando os fatos. Em momento oportuno, traremos a toda a sociedade clareza dos fatos.”

Editado pelo Tribuna do Recôncavo | Informações: BNews