Uma mulher 27 anos, juntamente com seu bebê, morreram em trabalho de parto na ultima terça feira, dia 02, na cidade de Castro Alves, no Recôncavo baiano. Segundo a cunhada de Angélica Santana, a mesma, sentiu a dor de parto na manhã de terça-feira. “Ao chegar não tinha médico, só enfermeira. O médico passou lá era 17h, como ele tinha me falado que tinha o costume de passar no hospital toda tarde, aí ele viu a situação dela e ficou atendendo ela”, disse.

Ainda segundo Luciene dos Santos, o cirurgião só chegou no hospital às 20h30. “Eu fiquei lá das 18h até às 21h que foi a hora que ele deu noticia e chamou eu e meu irmão para conversar”. Segundo a família, o cirurgião informou que a paciente teve uma convulsão durante o parto e nem ela e nem o bebê resistiram ao trabalho de parto. “Angelica não tinha uma gravides de risco e foi para o hospital sem sentir nenhum tipo de dor, ela era saudável, não tinha nenhum problema de saúde”, acrescentou Luciene.

O Diretor Médico do Hospital, Joel Azevedo, disse que complicações durante o parto existem e podem acontecer em qualquer lugar, que tinham uma equipe de plantão, e que o incidente se deu por conta de uma “hemorragia violenta”. Já o prefeito, Thiancle Araújo, lamentou o ocorrido e informou que o profissional obstetra que estava de plantão no dia foi afastado até que todo caso seja esclarecido.

Redação: Uanderson Alves/ Tribuna do Recôncavo | Reportagem: Felipe Pereira/ Clube FM