A exposição itinerante “NOVAMATRIZ | Gravura como pensamento” encerra sua circulação em Cachoeira. A exposição, que passou por Salvador e Feira de Santana, ficará aberta para visitação do público entre os dias 16 e 30 de agosto, no Museu Galeria Hansen Bahia, da Fundação Hansen Bahia, com obras de seis artistas contemporâneos/as baianos/as que trazem a linguagem da gravura sob uma nova perspectiva. A abertura da mostra acontece nesta terça-feira, dia 16 de agosto, às 19h, com visitação de terça a sexta, de 09h às 17h e aos sábados, das 09h às 13h. Entrada gratuita. A programação ainda prevê uma oficina sobre Monotipia.

Com curadoria de Patrícia Martins e Chancko Karann, idealizadores do projeto, usando como critério a aproximação dos artistas com o universo da gravura, as obras se conectam pela pluralidade de formas de trazer a gravura de forma indireta e direta. Deste modo, as imagens propõem o uso da linguagem da gravura de maneira não óbvia. “Os trabalhos apresentam a gravura de maneira expandida, como pensamento aplicado para diferentes tipos de produção, que incluem instalações, objetos, fotografia e gravuras como matrizes alternativas, mostrando a potência criadora que o universo da gravura carrega em si”, explica Patrícia Martins, artista visual, idealizadora e uma das curadoras da exposição.

OFICINA – Além da exposição, o projeto pretende contribuir com a formação livre e fomentar a cena artística baiana. Em Cachoeira, será ofertada a Oficina de Monotipia no dia 19/08, das 09 às 17h, com João Oliveira e Chancko Karann, na Fundação Hansen Bahia. A monotipia é uma única gravura feita através de um desenho ou pintura feita diretamente sobre uma superfície lisa, transferindo essa imagem através de pressão manual para uma outra superfície, sendo elas normalmente papel ou tecido.

Essa técnica comumente se apresenta como uma prática introdutória a técnica de gravura, sendo um recurso de experimentação gráfica e também um demonstrativo do que seriam a matriz e a impressão da mesma, como também uma técnica bem desenvolvida utilizada por muitos artistas em seus trabalhos. A atividade consiste na formação de um desenho em alguma superfície que servirá como uma matriz a ser impressa através de pressão manual para uma o papel. A atividade, de 8h no total, terá uma pequena introdução sobre as possibilidades artistas dessa técnica, mostrando o seu uso em trabalhos artísticos e o ensinamento e prática da mesma, possibilitando que os participantes tenham um conhecimento básico da técnica conseguindo reproduzir a mesma, bem como experimentações pessoais de acordo com a proposta dentro do tempo de oficina.

Serão 20 vagas a serem preenchidas através de um formulário e de carta de intenção. Metade das vagas serão destinadas a pessoas de baixa renda, pessoas negras, LGBTQI+, pessoas com deficiência e idosas, democratizando o acesso a estas atividades.

ITINERANTE – Mostra itinerante, a “NOVAMATRIZ | Gravura como pensamento” teve sua estreia em Salvador, onde ficou entre os meses de maio e junho. Feira de Santana é o segundo município baiano a receber a exposição, que encerra esta temporada expondo suas obras em Cachoeira no mês de agosto.

O projeto foi contemplado pelo Edital Setorial de Artes Visuais 2019 e tem apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda, Fundação Cultural do Estado da Bahia e Secretaria de Cultura da Bahia.

CONHEÇA OS/AS ARTISTAS:

Chancko Karann é artista visual e doutorando em Artes Visuais – PPGAV/UFBA. Em seus trabalhos em pintura e gravura, usa os caminhos do movimento na composição abstrata construindo um discurso relacionado à existências gestuais e seus desdobramentos. Participou de diversas exposições coletivas nacionais.

João Oliveira é Artista Visual mestre em Processos Criativos (2017) – PPGAV/UFBA. Micronarrativas, farsa, fracasso, relações afetivas, são alguns dos interesses de sua pesquisa. Participa regularmente de exposições coletivas, individuais e residências, tendo sido premiado em muitas delas, dentro e fora do Brasil.

Natural de Salvador – BA, morador do bairro de Plataforma, Mário Vasconcelos é artista visual e mestrando em artes visuais – EBA-UFBA. Sua pesquisa se relaciona aos signos da diáspora africana em atravessamentos artísticos contemporâneos partindo de experiência pessoal e coletiva. Participou de exposições coletivas e individuais, salões e bienais nacionais, internacionais e residência artística.

Milena Ferreira, artista plástica, gravadora, graduada pela EBA-UFBA (2021), investiga a estética da Ruína como lugar de memória e pertencimento no cenário urbano. Reside e trabalha em Salvador/BA, utiliza suas vivências urbanas arruinadas em meio ao centro antigo. Representada pela Galeria RV Cultura e Arte em Salvador, esteve na ArtSoul 2020, SP- Arte em 2021 e ArtSampa em 2022.

Patrícia Martins nasceu e reside em Salvador/BA, é artista visual e pesquisadora, mestra em Artes visuais – PPGAV/UFBA. Suas produções e pesquisas giram em torno das interações entre as imagens, o ato de gravar e de arquivar, tendo o corpo como um elemento que perpassa essas relações. Participou de exposições coletivas, residências e teve obras premiadas.

Yohanna Marie é artista interdisciplinar e mestra em Artes Visuais. Desenvolve seus trabalhos a partir de uma poética ambientada na relação entre as mulheres e as águas do mundo. Participou de exposições e residências artísticas entre Brasil, Cabo Verde, Gana, Argentina, Chile e México. Atualmente se dedica a experimentações vocais, propondo uma prática que transita entre linguagens.

SERVIÇO

Exposição NOVAMATRIZ | gravura como pensamento – produção baiana contemporânea

Data: de 16/08 a 30/08/2022

Visitação: terça a sexta, de 09h às 17h e aos sábados  das 09h às 13h

Local: Museu Galeria Hansen Bahia (Rua Treze de Maio, 13)

ENTRADA GRATUITA

 

Oficina de Monotipia 

Ministrantes: com João Oliveira e Chancko Karann

Local: na Fundação Hansen Bahia (Cachoeira/BA)

Data:  19/08, das 9h às 17h.

INSCRIÇÕES GRATUITAS

Informações inscrição no instagram do projeto (@projeto.novamatriz)