Na manhã da última segunda, dia 23, a Delegacia Territorial de Ubaíra (BA) foi comunicada acerca do desaparecimento de Railton da Silva, ocorrido no sábado, dia 20. Tão logo foi feito o registro da ocorrência, a equipe de policiais do Serviço de Inteligência de Ubaíra iniciaram as investigações com o intuito de localizar a pessoa desaparecida.

À medida que avançava o trabalho de busca pelo desaparecido, os experientes investigadores começaram a suspeitar que na verdade se tratava de um possível homicídio, quando então se formou uma força tarefa com os Policiais Civis de Jiquiriçá, cidade onde a vítima residia, com troca de informações e busca da verdade real.

O tino policial, aliado ao conhecimento da área, fizeram com que os investigadores desta força tarefa, em poucas horas, chegassem a um suspeito, tendo se dirigido a sua residência, mas o mesmo empreendeu fuga pelo matagal, sendo a sua esposa conduzida para a Delegacia.

Neste momento se iniciou a fase de formalização e coleta de provas. Mais uma vez, se utilizando de técnicas investigativas, os Policiais Civis de Ubaíra e Jiquiriçá, sob o comando da Delegada Aline Freitas, desvendaram o mistério do “desaparecimento”, descobrindo se tratar de um cruel e traiçoeiro crime de homicídio passional.

De acordo com as investigações, a presa M.F.A.B., de 43 aos de idade, teve um rápido relacionamento amoroso com a vítima. Mesmo tendo terminado este relacionamento, mas ao tomar conhecimento do fato, o acusado de ser o executor do homicídio, teria arquitetado o crime com sua esposa, armando uma emboscada para a vítima, o conhecido popularmente “chamar para retorno”.  Assim foi que a presa seduziu e marcou um encontro secreto com a vítima, que caiu na “armadilha”. Ao chegar no local combinado, no meio do mato, o acusado que estava escondido apareceu e, de forma cruel, ceifou a vida da vítima, que estava indefesa, com diversos golpes de arma branca. Não bastasse isso, de forma impiedosa arrancou a cabeça da vítima, mediante degolamento.

Não satisfeito, o acusado de iniciais P.N.S., escondeu o corpo da vítima no matagal e a cabeça a uns 50 metros de distância, para garantir a impunidade do crime; não contando com a astucia e expertise dos policiais civis que participaram da exitosa operação.

Para a localização do corpo da vítima, a Delegada que estava a frente das investigações solicitou apoio da Policia Militar local, através da 4ª. CIA/PM, que prontamente se uniu aos Policiais Civis e fizeram uma varredura no matagal, até finalmente localizarem o corpo da vítima, quando então foi acionado o DPT de Santo Antônio de Jesus, que fez a coleta de provas periciais.

Em menos de 24 horas da comunicação do crime, a equipe da Polícia Civil de Ubaira e Jiquiriçá, com o apoio da PM local, elucidou o crime, localizou o corpo da vítima e prendeu a participe desse hediondo delito que ganhou forte repercussão social em toda a região, pela forma traiçoeira e cruel como foi praticado.

Os acusados irão responder pelos crimes de homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver, podendo chegar a 33 anos de prisão.

Editado pelo Tribuna do Recôncavo | Informações: PC