A quarta estimativa para a safra baiana de cereais, leguminosas e oleaginosas (também conhecidos como grãos) prevê, em abril, que a produção deve chegar a 11.158.434 toneladas neste ano de 2022. Isso representa um aumento de 6,2% (ou mais 654.052 toneladas) em relação ao recorde de 2021 (10.504.382 toneladas). Os dados são do levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA, realizado mensalmente pelo IBGE.

Houve uma nova revisão positiva na previsão anual da safra de grãos no estado, na passagem de março para abril (+0,3% ou mais 30.800 t). Ela foi puxada pela soja (+0,4% ou mais 30 mil toneladas). Além disso, o aumento da previsão da safra da mamona (+2,1% ou mais 8.000 t) também contribuiu para o resultado positivo. A soja é o produto com maior volume colhido dentre todos os pesquisados sistematicamente pelo IBGE na Bahia. Em 2022, com um recorde de 7,110 milhões de toneladas, deve responder por 63,7% da safra de grãos do estado.

A perspectiva de alta na sojicultura, em abril, também se dá em razão do maior rendimento médio frente ao previsto em março (passou de 3.955 kg/hectare para 3.972 kg/hectare). A área plantada se manteve estável entre os dois meses: 1,790 milhão de hectares. A partir das informações desta quarta estimativa, a Bahia seguirá tendo, em 2022, a sétima maior produção de grãos do país, respondendo por 4,3% do total nacional. Mato Grosso continua na liderança, com 30,5% do total, seguido por Paraná (13,9%) e Goiás (10,7%).

Sobre as safras de produtos investigadas pelo LSPA na Bahia, em abril, a previsão continua de que, em 2022, 13 das 26 sejam maiores que as de 2021. Apesar de a produção baiana de banana ter apresentado revisão negativa em abril (-0,8% ou -7 mil toneladas), caindo para 904,3 mil toneladas, ela ainda é 2,9% maior que a do ano passado, que foi de 878,5 mil toneladas. Por outro lado, o tomate (-30,2 mil toneladas ou -14,5%), o cacau (-18,6 mil toneladas ou -12,8%) e as três safras de batata-inglesa (-11 mil ou -8,5%) lideram as quedas absolutas de produção.

Bahia.Ba