O corpo do professor Maikon Wesley Evangelista Brito Barros, de 33 anos, natural da cidade de Tapiramutá (BA), que estava desaparecido, foi encontrado em estado de decomposição no município vizinho de Mundo Novo, na quarta-feira, dia 12. Os dois municípios estão localizados no Semi árido baiano, na região de Morro do Chapéu.

De acordo com a Polícia Civil, um jovem de 20 anos, que foi preso por receptação, confessou ter participação na morte da vítima e apontou o local onde o corpo estava. O corpo tinha sido enterrado em uma cova embaixo de uma árvore, na Fazenda Piscina, zona rural de Mundo Novo. A causa e a motivação do crime não foram divulgadas. Maikon estava desaparecido desde o dia 6 de abril, após viajar para a cidade de Mundo Novo, onde foi visto pela última vez no Bairro Portelinha. Ele estava em um Fiat Palio, cor preta, de quatro portas, antes do desaparecimento.

A Secretaria de Educação de Tapiramutá emitiu nesta quinta-feira, 13, uma nota de pesar pelo falecimento de Maikon, que era professor na rede municipal de ensino, lamentando a perda do profissional que tanto contribuiu para a educação local. O Colégio Estadual João Queiroz, onde Maikon também era professor, também se manifestou: “Estendemos nossas condolências a todos os familiares, amigos, colegas e alunos do nosso querido Maikon Wesley Brito Barros. Pedimos a Deus que nos ajude a superar este momento de dor”.

Redação: Tribuna do Recôncavo | Informações: Blog do Adenilton Pereira