Nesta sexta-feira, dia 17, durante o 8º Fórum de Liberdade e Democracia, evento promovido pelo Instituto de Formação de Líderes de São Paulo (IFL-SP), o ex-presidente Michel Temer apontou que é preciso enxugar a máquina pública e reforçar políticas de privatização no Brasil.

Temer indicou que é preciso eliminar cargos desocupados, entregar mais tarefas à iniciativa privada e agilizar a prestação do serviço público por meio da privatização de determinadas áreas. Disse que é preciso partilhar com a iniciativa privada setores como segurança, tesouro, saúde e educação.

Além disso, o ex-presidente comentou sobre a conversa entre o Presidente Bolsonaro e o ministro Alexandre de Moraes, após os atos do dia 7 de setembro. Segundo ele, a conversa foi amigável, mas sem recuo do ministro. “A conversa foi muito amigável, fraternal, adequada. Sem que o Alexandre recuasse um milímetro do que ele faz. Foi uma coisa útil para distensionar, não sei se para o resto da vida, mas funcionou para aquele momento.”

Finalizando o primeiro bloco do evento, intitulado como “América Latina: o que falta para o “futuro” chegar?”, o ex-presidente encerrou otimista afirmando que o país sairá de toda e qualquer crise, desde a pandêmica à econômica. Para tanto, é preciso que os líderes em formação participem dos próximos eventos políticos e públicos do Brasil e tenham uma grande dose de otimismo. “Tudo isso faz com que o Brasil deixe de ser um país do futuro para se tornar um Brasil do presente”.

Matéria: Renata Castro/ Caravelas Consultoria