Na manhã dessa sexta-feira (14/06), os representantes dos movimentos sociais (APLB, STR, ACS, Irmãs Servas da Sagrada Família e estudantes), realizaram na cidade de São Felipe, no Recôncavo baiano, uma manifestação contra a reforma da previdência e os cortes na educação.

O Ato foi realizado ao lado do coreto, em frente a Igreja Matriz, com discussões e exibição de cartazes com as frases: “A EDUCAÇÃO RESISTENTE”, “QUEM ACEITA O MAL SEM PROTESTO COOPERA COM ELE”, “É GREVE PORQUE A COISA É GRAVE”.

Em entrevista ao Tribuna do Recôncavo, a professora Joelma Carvalho disse que a elite, com sua ambição desmedida, sente-se incomodada com o pouco que os pobres vêm conquistando com muita luta e sofrimento.

“É uma elite machista, racista, homofóbica que nos quer como escravos. Estes que detém o poder reagem violentamente quando acham que seus privilégios podem ser ameaçados. Por este motivo não querem que determinados grupos tenham acesso à universidade, pois, conhecimento é poder”.

Joelma ainda falou sobre o corte de privilégios: “Se eles estivessem interessados em cortar privilégios, cortariam em sua própria carne. É como disse Freire: ‘QUANDO A EDUCAÇÃO NÃO É LIBERTADORA, O SONHO DO OPRIMIDO É SER O OPRESSOR’, por esse motivo é que essa elite ainda encontra apoio por parte de alguns dos nossos. É por esses motivos também que seu projeto de manutenção de poder perpassa pelo controle e desmonte da educação”, concluiu.

Reportagem e redação: Jéssica Santos | Revisão: Hélio Alves/ Tribuna do Recôncavo

Caros blogueiros, plágio parcial também é crime, ao utilizar o nosso conteúdo, parcial ou integralmente, favor creditar a fonte ou as fontes.